PROSAS EM VERSOS

SER POETA, É SENTIR AFLORAR DA PELE SENSIBILIDADE, É OUVIR O GRITO DOS QUE NADA DISSERAM, É VER POR UMA GAMA DE CORES INVISÍVEIS À MACROSCÓPICA VISÃO DOS INSENSÍVEIS, É PENETRAR IMPIEDOSAMENTE À ALMA HUMANA.

quinta-feira, 8 de março de 2012

Sorriso Audível das Folhas




Fernando Martinho





Sorriso audível das folhas
Não és mais que a brisa ali
Se eu te olho e tu me olhas,
Quem primeiro é que sorri?
O primeiro a sorrir ri.

Ri e olha de repente
Para fins de não olhar
Para onde nas folhas sente
O som do vento a passar
Tudo é vento e disfarçar.

Mas o olhar, de estar olhando
Onde não olha, voltou
E estamos os dois falando
O que se não conversou
Isto acaba ou começou?

Fernando Pessoa,
in "Cancioneiro"

Paralelos



Daisi Oliveira de Souza



Você e eu…
dois corpos e dois temas
soltos no tempo e no mesmo espaço
seguindo sempre por caminho incerto
vidas partidas por quilômetros de passos…

Você e eu…
dois sonhos, duas rimas
dois pensamentos presos em dois temas
vagando errantes pelo infinito
somos versos incompletos, sem formar poema…

Você e eu…
dois mundos…infinito…
se procurando, sem poder se achar
distanciando-se sempre em seus caminhos
correndo juntos, sem nunca se alcançar…

Caminhamos em ângulos opostos
somos dois paralelos…dois fantoches…
Você e eu…
uma ilusão…duas saudades…

(Leni)

Feliz Dia da Mulher


Jose Carlos Ribeiro




O homem é a mais elevada das criaturas.
A mulher é o mais sublime dos ideais.

Deus fez para o homem um trono.
Para a mulher, um altar.
O trono exalta.
O altar santifica.

O homem é o cérebro; a mulher é o coração.
O cérebro fabrica a luz; o coração produz Amor.
A luz fecunda.
O Amor ressuscita.

O homem é forte pela razão.
A mulher é invencível pelas lágrimas.
A razão convence.
As lágrimas comovem.

O homem é capaz de todos os heroísmos.
A mulher, de todos os martírios.
O heroísmo enobrece.
O martírio sublima.

O homem tem a supremacia.
A mulher, a preferência.
A supremacia significa a força.
A preferência representa o direito.

O homem é um gênio; a mulher, um anjo.
O gênio é imensurável; o anjo, indefinível.
Contempla-se o infinito.
Admira-se o inefável.

A aspiração do homem é a suprema glória.
A aspiração da mulher é a virtude extrema.
A glória faz tudo grande.
A virtude faz tudo divino.

O homem é um código.
A mulher, um evangelho.
O código corrige.
O evangelho aperfeiçoa.

O homem pensa.
A mulher sonha.
Pensar é ter no crânio uma larva.
Sonhar é ter na fronte uma auréola.

O homem é um oceano.
A mulher um lago.
O oceano tem a pérola que adorna.
O lago, a poesia que deslumbra.

O homem é a águia que voa.
A mulher é o rouxinol que canta.
Voar é dominar o espaço.
Cantar é conquistar a alma.

O homem é um templo.
A mulher é o sacrário.
Ante o templo nos descobrimos.
Ante o sacrário nos ajoelhamos.

Enfim, o homem está colocado onde termina a terra.
E a mulher ond e começa o céu.

Poema de Victor Hugo

à Mulheres


Josemir Tadeu Souza



Como sonhos, manifestam-se,
e cantam com as vozes maviosas,
que reproduzem as mais belas canções terrenas...
são pequenas, são amenas, são plenas.
São grandes, completas, de amor, repletas.
Nada complexas,
distinguem-se pela beleza ímpar,
que se instaura em suas falas e gestos.
São segredos.
São contos.
São melodias.
São os tons e dons,
que se espargem e criam ainda mais,
na maravilha que já lhes faz,
donas da natureza.
Como fadas, abarcam o universo inteiro.
São verbos, que não conseguimos conjugar.
São do todo, parcelas enormes, que reproduzem-se...
que abrigam todo o processo de continuidade da vida carnal.
Parceiras... primeiras.
Pacientes e cônscias.
São o decifrar das notas musicais, que inseridas à harmonia, dão o toque de amar em essencia.
Amam... os filhos, os pais, os homens escolhidos.
São muito mais que entalhes,
são desenhos já pré-concebidos
interpondo-se entre o belo e o divino.
São as falas mansas e aconchegantes,
das madrugadas tensas...
são as respostas para os mais complicados problemas.
São os principais temas, do que da alma pode nascer.
São as flores e os frutos.
São o querer resoluto,
aquele que absoluto
posta-se à frente,
do que às vezes vem pra entristecer,
e afugenta-o, apenas com o olhar.
Astros luzentes.
Argentadas vertentes de fluidos puros.
Água cristalina.
Indicativos de nossas rotas e sinas.
Inspirações abrangentes.
Motivos de ser e estar, de todo o planeta.
Respostas.
Absolutamente magníficas e crescentiformes.
Simplesmente maviosas.
Iluminadas e Amadas.
MULHERES... PURAS...,
sem o ranço de dúvidas
ou de pseudos conjeturas.
Pra voces o UNIVERSO!

Eu as reverencio...
mulheres que dão o tom das cores,
com as quais pinto os diversos estágios
dos quadros de minha vida.
Parabéns!

josemir(aolongo...)

SALETE - Prosas do Tema = Metades


Maria Salete Ariozi
Poetas



Das almas dos poetas
Não as entende ninguém,
São almas de violeta
Que são poetas também.

Andam perdidas na vida,
Como estrelas no ar;
Sentem o vento gemer
Ouvem as rosas chorar!

Só quem embala no peito
Dores amargas secretas
É que em noites de luar
Pode entender os poetas.

E eu que arrasto amarguras
Que nunca arrastou ninguém
Tenho alma para sentir
A dos poetas também!

Florbela Espanca

ANA - Prosas do Tema = Metades




Ana L. Jorge
Metade






Metade dia, metade noite
Metade clara, metade escura
Metade sol, metade lua
Metade vida, metade morte
Metade do caminho percorrido
Metade do caminho desviado
Metade amizade, metade solidariedade
Metade mãe, metade dedicação
Metade alegria, metade tristeza
Metade amor, metade dor
Metade mulher, metade criança
Metade força, metade esperança
Metade flor, metade espinho
Metade sem tempo, metade com tempo
Metade saudade, metade viagem
Metade sonho, metade realidade
Metade beijo, metade abraço
Metade solidão, metade vulcão
Metade aqui, metade ali
De metade em metade, vamos que vamos!!
Ana L. Jorge

SALETE - Prosas do Tema = Metades


Maria Salete Ariozi
"Os Dois Horizontes"



Dois horizontes fecham nossa vida:

Um horizonte, — a saudade
Do que não há de voltar;
Outro horizonte, — a esperança
Dos tempos que hão de chegar;
No presente, — sempre escuro,
Vive a alma ambiciosa
Na ilusão voluptuosa
Do passado e do futuro.

Os doces brincos da infância
Sob as asas maternais,
O vôo das andorinhas,
A onda viva e os rosais;
O gozo do amor, sonhado
Num olhar profundo e ardente,
Tal é na hora presente
O horizonte do passado.

Ou ambição de grandeza
Que no espírito calou,
Desejo de amor sincero
Que o coração não gozou;
Ou um viver calmo e puro
À alma convalescente,
Tal é na hora presente
O horizonte do futuro.

No breve correr dos dias
Sob o azul do céu, — tais são
Limites no mar da vida:
Saudade ou aspiração;
Ao nosso espírito ardente,
Na avidez do bem sonhado,
Nunca o presente é passado,
Nunca o futuro é presente.

Que cismas, homem? – Perdido
No mar das recordações,
Escuto um eco sentido
Das passadas ilusões.
Que buscas, homem? – Procuro,
Através da imensidade,
Ler a doce realidade
Das ilusões do futuro.

Dois horizontes fecham nossa vida.

Machado de Assis

ANGELA - Prosas do Tema = Metades


Angela Mendes
Três Metades




Meio dia,
um dia e meio,
meio dia, meio noite,
metade deste poema
não sai na fotografia,
metade, metade foi-se.

Mas eis que a terça metade,
aquela que é menos dose
de matemática verdade
do que soco, tiro, ou coice,
vai e vem como coisa 
de ou, de nem, ou de quase.

Como se a gente tivesse 
metades que não combinam, 
três partes, destempestades,
três vezes ou vezes três, 
como se quase, existindo,
só nos faltasse o talvez.

in Distraídos Venceremos
(Paulo Leminski)

SALETE - Prosas do Tema = Metades


Maria Salete Ariozi



... Sou assim
Metade de mim, ilusão
Paixão, devoção, coração,
Ponderação, recordação,
E muito Perdão.

Trate-me com respeito,
Sou feita de Emoção !! 

... Sou também Assim:
Erros, Correção,
Radicalismo, sem racismo.
Censuras, sem exageros.
Cobranças, sem morte.

Mas não pise no Meu Calo Não !

Entro na briga pra brigar,
E por essa briga
Vou até ganhar.

Agora para você que está lendo isso,
Vai meu beijão,
No seu Coração !
rsrs.

((Salete))

ANGELA - Prosas do Tema = Metades



Angela Mendes
Quero alguém...




Quero alguém que cure as dores
da minh' alma tão sofrida...
Quero alguém que me ame
como se eu fosse única.
Quero alguém que traga
a ternura da criança no olhar...
Quero alguém que diga
que sou linda mesmo ao acordar...
Que esteja pronto a comigo sonhar,
mesmo sonhos impossíveis,
mas que nunca se permita desanimar...
Quero alguém que me dê colo
quando eu estiver triste...
Um ombro pra chorar sempre!
Quero alguém que me mande flores
mesmo sem motivo!
Que diga que me ame todos os dias...
Que faça o sol brilhar dentro de mim
mesmo na noite escura... 
Quero alguém que me dê a mão
durante a caminhada
para aliviar meu cansaço...
Só assim estarei viva e inteira !
Porque estarei completa
não mais pela metade..
Ou serei duas metades
que se completam...

Ângela Mendes

Metade


Sandra Parizotto





“E que a força no medo que eu tenho, não me impeça de ver o que anseio.
Que a morte de tudo que acredito não me tape os ouvidos e a boca.
Porque metade de mim é o que eu grito, mas a outra metade é silêncio.
Que a música que eu ouço ao longe seja linda ao invés de tristeza.
Que a mulher que eu amo seja prá sempre amada, mesmo que distante.
Porque metade de mim é partida, a outra metade é saudade.
Que as palavras que eu falo não sejam ouvidas como prece, e nem repetidas com fervor, apenas respeitadas, como a única coisa que resta a um homem inundado de sentimento.
Porque metade de mim é o que eu ouço, e a outra metade é o que calo.
Que essa minha vontade de ir embora se transforme na calma e na paz que eu mereço.
Que essa tensão que me corre por dentro seja um dia recompensada.
Porque metade de mim é o que eu penso, e a outra metade é um vulcão.
Que o medo da solidão se afaste.
Que convivo comigo mesmo e se torne ao menos suportável.
Que o espelho reflita em meu rosto um doce sorriso, que me lembro ter dado na infância.
Porque metade de mim é a lembrança do que fui, e a outra metade eu não sei.
Que não seja preciso mais do que uma simples alegria, prá me fazer aquietar o espírito.
E, que o teu silêncio me fale cada vez mais.
Porque metade de mim é abrigo, e a outra metade é cansaço.
Que a arte nos aponte uma resposta, mesmo que ela não saiba, e que ninguém a tente complicar.
Porque é preciso simplicidade para fazer florescer.
Porque metade de mim é platéia, e a outra metade é canção.
E, que a minha loucura seja perdoada.
Porque metade de mim é Amor, e a outra metade...também!”

Oswaldo Montenegro

Mulher!


Fátima Custódio




Sou mulher sempre que a solidão se instala com um rasgo entre as nuvens e um último sonho. Sou mulher quando me calo em frente ao espelho mudo. Envelheço. Numa terra perdida e num som descompassado, Sou mulher. Guardo na intimidade da minha memória uma paz negra que desagrega a luz. Sou mulher e sou a ficção de mim. Matriz de um querer desfeito. Sombra de outrora de um poço verde. Sou ilusão. Testemunha efémera e longínqua de um trovão desenhado por um deus sem nome. Sou mulher ferida nos meus doces cantos de menina. Vida precária nas mãos de uma harpa mentirosa. Sou mulher e uma sede que se instalou para lá de mim. Sem fontes por perto. Sinto em mim um punhal. Dói. Sou o sal da minha pele e dos meus olhos. Sou mulher. Sei amar. Sofro. A chave da vida não encaixa nas minhas mãos. Sou mulher. Adorno-me. Sem pérolas. Os meus olhos são janelas onde espraio a minha alma dorida e a terra que me pintou sabe que sou MULHER... 




Sei que é um poema triste. Que todos os homens saibam respeitar e dignificar as mulheres que encontram no caminho.

Fátima Custódio

CARMEM - Prosas do Tema = Metades


Carmen Alice Ribeiro





"Sejas inteiro....não somente uma metade!

Não queiras ser um eterno espectador 
do tempo que te engole e que tortura 
muitas das tuas feridas, 
sê tu o construtor da tua felicidade 
e das tuas obras. 
Começa, não sejas metade....sê tudo. 

Planta flores nos mais tenebrosos abismos do medo, 
semeia e acende estrelas nas noites mais escuras, 
descobre as razões da felicidade 
onde ninguém mais as consegue encontrar. 

Vales muito. 
A tua história não é inutil. 
Conta a tua história à vida. 
Faz da tua história o mais belo poema de amor 
que um dia alguém escreveu. 

Tens muito para contar, tens uma vida para libertar, 
tens sonhos para realizar, tens qualidades, tens desafios....
tens sobretudo a vontade enorme de vencer., 
Conta a tua história. 
Força....só precisas começar...."

~Desconheço o Autor~
postado por Carmen 07/03/2012

Limo


Lucrecia Rocha






O amor escorrega como limo,
Terreno limoso,
Esse amor!
Nas pedras do rio
Correntezas,
Que tristeza!
Lavam e levam para longe de ti,
Os resquícios de mim.

Perdi-me no vale do amor,
Achei-me no esplendor,
Mas logo veio a dor
Com seu efeito devastador,
Ventania de areia,
Areia no meu rosto,
No meu olho.
Que desgosto!
Perdi a visão,
Perdi a exatidão,
Como expiação,
Prostração.

Torrencialmente surgem
Lágrimas de saudade,
Inundando,
Afogando,
Um delicado frágil coração
Disfarçado de Leão.

Lucrécia Rocha
lucreciarocha@gmail.com

SALETE - Prosas do Tema = Metades


Maria Salete Ariozi
Minhas Metades




Habita em mim uma metade, 
Que acalenta meus sonhos, faz-se sublime.
É cheia de emoção, palpitação, inquietude.
Emiti baixinho o som do suspiro, choro e gemido. 
Docemente, apresento o meu
CORAÇÃO !

Outra Metade habita em mim,
Perspicaz, Rígida, impiedosa,
Cobradora, Implacável, 
Dominadora...
Exigente, apresento a minha
RAZÃO !

No composto de minhas metades,
Estas duas vidas são vivas. 
Em meu ser habita, e faz morada. 
Uma guerra acirrada se trava,
Meu dia se agita, cogita.
Suspira e deseja.

Minha Metade doce, CORAÇÃO, 
Faz alusão de um sonho singelo, 
Na mansidão do dia,
Onde mesmo acordada me remete
Lampejos de lembranças,
De um momento, de um dia ... 

Minha Metade cruel, RAZÃO,
Acorda-me, não perdoa.
Lucidamente aponta,
Falsas esperanças, nenhum alimento,
Nessa procura,
Que o coração busca.

Minha Metade Amável, CORAÇÃO,
Amansa minha ansiedade. 
Alivia com carinho a dor. 
Em busca do crescimento,
Sem se impor,
Na realização desse Amor.

Apresenta-se no ato a RAZÃO,
Que Impiedosa critica, 
Fere, não acredita. 
Rebela-se teimosa,
Sem dar, nem por,
Aumentando minha dor. 

Assim existo entre: 
Flores e Espinhos,
Água e Vinho,
Choro e Riso, 
Falar e Calar, 
Zelar pelo Amor,
Lamentar toda Dor.

Engano minha metade, a RAZÃO.
Que é puro trovão ! 
Busco a outra metade, o CORAÇÃO
Que com um sorriso maroto,
Como um garoto, já trás um rojão, 
E Aplaude minha decisão !

Um “Lexotan” ofereço, 
Para a RAZÃO se acalmar. 
Jaz em sono profundo !
Não mais a me ofuscar, vigiar,
Censurar, reprovar,
Ou condenar.

Oba !! diz o CORAÇÃO, 
Já com um copo de wiski na mão.
Feliz, assim se diz. 
Ele sorri e cria. 
Pulando de alegria, 
A felicidade acontece em mais um dia.

Assim me pego a escrever,
Torno-me expressão da emoção.
Trago pouco do dom em minhas mãos,
Mas dos versos, ah ! os versos,
Estes deixo por conta do 
CORAÇÃO !

Salete- Março/ 2012

CARMEM- Prosas do tema = Metades



Carmen Alice Ribeiro




Todos procuramos a outra metade de nós...
Todos procuramos o complemento de corpo e alma...
A metade do coração...
A metade da alma...
O outro lado do riso...da lágrima...
O que falta ao sonho...
Não desistamos dessa procura...dessa busca!!!
Não desistamos do sonho, do riso!!!
Não desistamos do Amor...
Não desistamos de nós!!!
E ousemos tentar SER e FAZER FELIZES!!! 
HOJE...AQUI e AGORA...é o MOMENTO CERTO!!!! 

"Só existem dois dias no ano que nada pode ser feito:
Um se chama ONTEM e o outro AMANHÃ.
Portanto HOJE é o dia certo para AMAR, ACREDITAR
FAZER e principalmente VIVER."
Dalai Lama

CARMEM- Prosas do tema = Metades


Carmen Alice Ribeiro
Metade de mim





Escondo metade de mim, aquela metade dos cansaços
dos sonhos feitos pedaços, que a outra metade sonhou
escondo metade de mim, metade daquilo que sou.
Escondo metade de mim, aquela metade que é trevas das horas 
amargas sem luz, aquela metade, que não encanta nem seduz.
Escondo metade de mim, a metade das ilusões gastas,dos medos 
sentidos, aquela metade de mim, que só conhecem os desvalidos.

Escondo metade de mim, na quietude da noite que me povoa a alma,
aquela metade que é escuridão, metade de uma vida, de um coração.
Escondo metade de mim, a metade sem sorrisos, a metade que é só 
minha, a minha trama, meu segredo, aquela metade, que não é 
fascínio nem luz , a metade do meu medo.
Escondo metade de mim na metade que sei mostrar, onde oculto raiva 
e cansaço, a metade que me divide no meio sorriso, no meio abraço.
Escondo metade de mim , escondo a parte mais obscura, do sentir e do
sonhar, a metade que anda perdida, a metade já sem vida, a parte que 
não sabe amar.

Escondo metade de mim, a metade que partiu, da metade que ficou, a 
metade do desencanto, das lágrimas e do quebranto, a tantas metades 
igual a metade que sonhou, que não viveu, nem vingou, a metade que 
não mostro mais. Escondo metade de mim , a metade mais frágil, a mais 
sincera talvez,anda perdida na bruma, como barco sem rumo,que navega, 
perdendo o cais. Escondo metade de mim...

Gonçalo N. Assis

Com o tempo



João Adalberto Behr





"Com o tempo você percebe... aquele alguém que você ama (ou acha que ama ) e que não quer nada com você, definitivamente não é o alguém da sua vida. E, no final das contas você vai achar, não quem estava procurando, mas quem estava procurando por você!"

Mário Quintana...

ANIBAL - Prosas do Tema - Metades


Aníbal Bastos
METADE







Por mais que se saiba medir,
Ninguém consegue dividir,
A vida e a realidade!
E também tristeza e dor,
O ódio ou o amor,
Não se divide por metade!

Mas se dois corpos, são um,
Com denominador comum,
Encontra-se esta verdade:
Passado tempo depois,
Ao dividi-los por dois,
Cada um, é uma metade! 

Duas metades reais,
Sem ser metades iguais,
São a verdadeira metade!
Uma a outra se complementa
E se o amor as alimenta,
As duas são: felicidade!

Duas metades divididas,
Só amarguram as vidas,
Inteiras, não só metade!
E mesmo que não se queira,
Sente-se a saudade inteira
E não só meia saudade!

Por a minha metade ver,
Outra metade escolher,
Sinto dor, sinto saudade!
Mas no universo sem fim,
Será sempre para mim,
A minha eterna metade!

A. Bastos (Júnior)

ERENI - Prosas do Tema = Metades


Ereni Wink
PONTES



Nasce em mim a grande vontade....

De unir as duas pontes, a do amor e odio.



Pois só o amor edifica,enquanto o òdio intoxica
O amor é carismático,por onde anda semeia harmonia
Transforma riso em poesia
Afasta a indesejada melancolia.
Acolhe o arrependido em toda sua guarida




Já o ódio em toda sua insensatez,
Vai destruindo corações
Amargando as emoções..
Transformado tudo em um deserto árido,onde roncam os vulcões
Afasta a temperança,dando adeus a boa lembrança.




Dois extremos....dois opostos
Muitas vezes caminham lado a lado.
Amor ,brisa suave,jardim em flor,cascata multicolor
Mas o seu oposto,carrega a dor,com gemidos ,sem sorrisos.


07/03/2012 Ereni Wink

Meu Coração Vagabundo




Aníbal Bastos





Meu coração vagabundo,
Resolveu correr o mundo,
Foi audaz aventureiro!
Nas asas do pensamento
Que é mais veloz que o vento,
Percorreu o mundo inteiro!

E neste longa viagem,
Conheceu tanta personagem,
De toda a sociedade!
Viu corruptos e ladrões,
Agiotas e burlões,
Tentar comprar a verdade!

Viu matar e viu morrer,
Viu muita gente a sofrer,
Agruras; coisas sem nome!
Viu gastar tanto na guerra,
Bens a fazer falta à Terra,
Para acabar com a fome!

Andou por muitos caminhos,
Sentiu falta de carinhos
E de sábios conselhos!
Passou fome e passou sede,
Fugiu às malhas da rede,
Mas nunca andou de joelhos!

Lutou pela liberdade
Com força e com vontade
Porque ser um filho da grei!
E se fosse necessário,
Tornava-se num corsário,
Para combater o rei!

Por ser poeta sonhador,
Na batalha do amor,
Foi ferido quase de morte!
Esteve em coma profundo,
Mas retornando ao mundo,
Veio mais sábio e forte!

É meu! Trago-o peito!
Tenho-lhe imenso respeito,
Por ser nobre e indulgente!
E quando o tentam enganar,
Até finge acreditar,
Para não magoar quem mente!

Quando é atraiçoado,
Fica triste e magoado,
Mas nunca guarda rancor!
Tem conhecimento bastante,
Para saber que importante,
No mundo, só o amor!

A. Bastos (Júnior)

BASILINA - Prosas do Tema - Metades



Basilina Divina Pereira
POEMA PELA METADE






Talvez o meu verso quisesse
um poema rimado,
com luz e harmonia,
não este verso cansado:
sem brilho ou qualquer fantasia.
Suas palavras têm os mesmo sons
que camuflam a falta
que faz uma bela melodia.
É...talvez meu verso quisesse
compor um poema inteiro:
com surpresas e poesia.

Basilina Pereira

A outra metade



Magna Azevedo




“Quando você encontrar a outra metade da sua alma, você vai entender porque todos os outros amores deixaram você ir. Quando você encontrar a pessoa que realmente merece o seu coração, você vai entender porque as coisas não funcionaram com todos os outros. 
O que as pessoas mais desejam é alguém que as escute de maneira calma e tranquila. Em silêncio. Sem dar conselhos. Sem que digam: “Se eu fosse você”. A gente ama não é a pessoa que fala bonito. É a pessoa que escuta bonito. A fala só é bonita quando ela nasce de uma longa e silenciosa escuta. É na escuta que o amor começa. E é na não-escuta que ele termina. Não aprendi isso nos livros. Aprendi prestando atenção.”

Rubem Alves

Você faz parte daqui