PROSAS EM VERSOS

SER POETA, É SENTIR AFLORAR DA PELE SENSIBILIDADE, É OUVIR O GRITO DOS QUE NADA DISSERAM, É VER POR UMA GAMA DE CORES INVISÍVEIS À MACROSCÓPICA VISÃO DOS INSENSÍVEIS, É PENETRAR IMPIEDOSAMENTE À ALMA HUMANA.

segunda-feira, 30 de abril de 2012

O Agora é Hoje



Guiomar Casas Novas



E o hoje é agora.
A hora, o momento
Este...
Presente...
Foi-se a madrugada
luz que precede 
o dia
que chega de rompante
num delírio!
Mais um dia---penso.
Apoio o rosto
na vidraça ainda húmida
bebo o frio agradável
que ficou.
E ouço em silêncio
a mão do vento
que inquieta
ainda não parou.
Eis-me igual a ela
reencarnada naquele sopro
numa ânsia irrequieta
de te ver chegar...
Espera longa que me enerva
e me endoida...
Este é o momento.
Aparece!
O hoje é agora.
E eu, na derradeira aragem,
olho e não te vejo...
E...tanto me apeteces... 

gui+++19 abril 2012+++
De: Guiomar Casas Novas

As duas flores



Angela Mendes




São duas flores unidas
São duas rosas nascidas
Talvez do mesmo arrebol,
Vivendo,no mesmo galho,
Da mesma gota de orvalho,
Do mesmo raio de sol.


Unidas, bem como as penas
das duas asas pequenas
De um passarinho do céu...
Como um casal de rolinhas,
Como a tribo de andorinhas
Da tarde no frouxo véu.

Unidas, bem como os prantos,
Que em parelha descem tantos
Das profundezas do olhar...
Como o suspiro e o desgosto,
Como as covinhas do rosto,
Como as estrelas do mar.

Unidas... Ai quem pudera
Numa eterna primavera
Viver, qual vive esta flor.
Juntar as rosas da vida
Na rama verde e florida,
Na verde rama do amor

 (Castro Alves) 

Você linda flor




Jose Carlos Ribeiro





Você é a mais bela de todas as flores,
Que um dia apareceu na minha vida,
enche a minha cabeça de mil cores,
Mesmo quando em meu coração esta dorido.

Seu sorriso me dá felicidade,
Seu olhar é tão lindo,
Que faz bater mais forte o meu coração,
O seu charme me conquistou.

Eu amo o perfume do seu corpo,
Eu te amo loucamente,
E eu te amarei até á minha última hora,
Até meu último suspiro de vida,

Você sempre sera o amor
Que fez vacilar meu coração.

J.


E nem sequer


Maria Salete Ariozi





E nem sequer
Era primavera.
E disseste que margarida
Era amarelo e branco
E eu disse que branco era paz,
E disseste que amarelo era desespero.
... E dissemos quase juntos que margarida era então desespero,
cercado de paz por todos os lados.

Caio Fernando Abreu

O poema


Maria Salete Ariozi


O poema
caminhava
pela avenida
congestionada.

Seguia calmo
naquela manhã
ensolarada.
Brisa fresca
batendo no rosto,
mar azul,
água de coco,
jardins floridos.

Gentes,
entremeavam
num ir e vir
desnorteado.

Sereno;
acenou.
sorriu.
chorou.

Invisível...

Esbravejou,
irritou-se,
desnudou-se,
desistiu,
e já sem fôlego...

Inerte;
caiu.

Gentes,
ainda naquele
irritante
vir e ir
desenfreado.

Passavam.
Tropeçavam.
Desviavam,
e seguiam...

Ninguém
percebia...

Que ali,
ao risco de morte,
caído,
jaziam;
o poema,
de mãos dadas
com a última poesia
do dia 

-José Silveira-

Mas o amor termina




Maria Salete Ariozi


‎"Mas o amor termina, mal-agradecido, termina, e termina só de um lado, nunca se encerra em dois corações ao mesmo tempo, desacelera um antes do outro, e vai um pouco de dor pra cada canto. E dói também em quem tomou a iniciativa de romper, porque romper não é fácil, quebrar rotinas é sempre traumático."

Martha Medeiros

A luz que dança




Ereni Wink





Sobre campos verdes,
luz que dança,
o ritmo de bolero
ou mesmo
uma valsa.
Coisas tão antigas,
você pode até pensar
tão desinteressada
do meu sofrer.
Mas quando tudo parar de girar,
no acalanto da música,
no compasso da dança,
você virá
e a sua presença
há de iluminar o meu dia.
Quando você vem?

 Autoria: Warmien

O Despertar



Ereni Wink





Vivo em descontroladas lembranças... Perdi o domínio de mim!
Aprisionado no passado... Tenho medo... Não despertar o sono profundo!
Torpor... A eternidade aguarda... Pacientemente espera por minha chegada!
A toalha de linho branco... A vela de chama bruxuleante!
Sombras da taça dançando no linho fino... Vinho e pão... Água não!
A última ceia sobre a mesa... Comer de pé e depois deitar!
O chão... A terra gentilmente me acolherá em seu leito!
Sem suspiros... Não se ouvirá mais meu coração!
O grande silêncio embalará meu sono... Calmamente... Sem alardes!
Docemente viverei nos sonhos dos dias que vivi das antigas lembranças!
Apenas talvez... Retorne na memória dos que vivem!
Os que me amam... Trarão-me do passado pela mão!
E novamente sorrirei em sua companhia... Nas memórias... Nas lembranças de mim!
Contarão aos outros minhas histórias... Dos risos... Das lágrimas... Minhas tristezas!
Do que fui... Do que deixei de ser... Do que poderia ter sido!
O que fiz e o que deixei de fazer talvez faça parte da prosa!
Ao findar da festa retomarão aos seus afazeres e voltarei a entrar gentilmente na noite!
No silêncio da eternidade dormirei serenamente... Que outras lembranças... Despertem-me!

 Autoria: LUIZ ANTÔNIO DE LEMOS FALCÃO

domingo, 29 de abril de 2012

LUCINHA - Prosas do Tema = PASSAPORTE


Lúcinha Santos
Passaporte




Meu passaporte é minha alma
sem muros
sem nomes
sem cicatrizes
minha alma é aonde esta meus versos
sonhos sem fim
viajo por um universo unico
por lugares inatingiveis
mas somente pra mim
perspectivas em outros angulos
que ninguém entende
Procuro oque todos querem e não conseguem
por que falta imaginação
falta olhar pra cima e solta os pés do chão
A viagem mais sonhada carrego comigo
minha parte de vida abençoada, meus filhos, 
minha familia e meus amigos
Dentro dos meus olhos esta a imagem
do que procuro e pra onde vou
meu passaporte carimbado
pela razão
testado pela alma
e aceito pelo coração

.....................Lú

FÁTIMA CUSTÓDIO - Prosas do Tema = PASSAPORTE


Fátima Custódio
Sem passaporte




E tempo parou
Naquela hora, sob a chuva.
Murcharam as rosas,
Choraram os ciprestes,
Fugiram os pássaros,
Fugiram de mim
E do tempo…
São vagabundas as horas,
Pedintes os dias longos
Nos calendários desfeitos.
Os campos são negras dunas;
São fantasmas as cidades
Paradas assim no tempo.
Eu rasgarei uma a uma,
As folhas hipócritas
Do calendário da saudade.

Fátima Custódio

DAISI - Prosas do Tema = PASSAPORTE


Daisi Oliveira de Souza
Amor entrelinhas




Natureza delicada, namorada encantada.
Passaporte majestoso, liberdade camuflada.
Colorindo sentimentos, refletindo pensamentos.
Desfazendo desenganos, devolveste fantasias.

Prisioneiro amoroso, escrevendo orgulhoso,
Entrelinhas demonstrando, sentimento silencioso.
Euforia verdadeira, estampando adoração;
Natureza feminina, verdadeira formosura.

Resignado sonâmbulo, estranha sofreguidão. 
Invisível companhia,encantadora explicação.
Novamente colorindo pensamentos. Comunhão
Arrogante sentimento, desprovido retirante.

Soluçante travesseiro, lamentável movimento,.
Registrando sofrimento, questionando casamento.
Torturante, verdadeiro, esperando explicação.
Alimenta, renuncia, previsível sofrimento.

Daisi Oliveira de Souza

LUCIANA PEREIRA - Prosas do Tema = PASSAPORTE


Luciana Pereira Barros
É duro ter coração mole



Por favor, não me aperte tanto assim tenha cuidado, 
pega leve olha onde pisa isso é meu coração meu 
ganha-pão instrumento de trabalho, meio de vida,
profissão meu arroz com feijão meu passaporte 
para qualquer parte para qualquer arte não machuque
esse meu coração preciso dele para me levar a Marte
sem sair do chão não me aperte não machuque
tome cuidado eu vivo disso poesia, 
sonhos e outras canções sem emoção morro de fome
sinto muito mas não há nada que eu possa fazer sem coração.

Alice Ruiz

SALETE - Prosas do Tema = PASSAPORTE


Maria Salete Ariozi
Louca Viagem




Trago em meus dias meu 
Passaporte sempre pronto !

Assim, a qualquer Momento, 
Que eu queira, me arrumo, 
E parto...

Não me importa qual seja 
O destino desta
...Louca Viagem !

Sigo sem rumo certo,
Rumo ao Céu,
Aos Mares, aos Montes, 
Na rua, na Chuva, 
Contra os Ventos, 
Ao encontro, Em busca,
Para o Adeus...
Na minha bagagem, 
Levo com abundância,
Alegria, Felicidade,
Entusiasmo, Euforia !
Como uma Menina
Que Adora Viajar,
Ao mundo dos Mistérios, 
Encantamentos, Magias...
Sinto-me Feliz Assim ! 
Uma Gaivota ao vento,
Buscando sempre, 
Alguma Poesia nos Sonhos, 
Aqueles que queremos ter, 
Para assim Viver,
Sempre Sonhando...
Hoje, estou assim: 
De Partida !
Addio, Arrivederci,
Au Revoir, Adiós, 
Goodbye, Adeus,
Fuuiiiiiii !!

((Salete)) Abr/2012

LIGIA - Prosas do Tema = PASSAPORTE



Ligia Shlochmann
PASSAPORTE





PEGUEI MEU PASSAPORTE

EMBARQUEI NA NAVE DA DOAÇÃO

FUI AOS RECÔNDITOS DESSE PLANETA
ONDE ENCONTREI AS MISÉRIAS
NOS CORAÇÕES



DOEI AINDA O QUE RESTAVA

NA MINHA BAGAGEM: AMOR, ALEGRIA,
PAZ, HUMILDADE, TOLERÂNCIA E
MUITA PACIÊNCIA



EMBARQUEI DE VOLTA NA NAVE DA DOAÇÃO

FOLHEI MEU PASSAPORTE
QUE MUITO HÁ O QUE FAZER
NO RECÔNDITOS DAS MISÉRIAS
NOS CORAÇÕES.


Ligia Shlochmann

ANGELA - Prosas do Tema = PASSAPORTE


Angela Mendes
Soneto à tua volta





Voltaste, meu amor... enfim voltaste!
Como fez frio aqui sem teu carinho....
A flor de outrora refloresce na haste
que pendia sem vida em meu caminho.

Obrigado... Eu vivia tão sozinho...
Que infinita alegria, e que contraste!
-Volta a antiga embriaguez porque voltaste
e é doce o amor, porque é mais velho o vinho!

Voltaste... E dou-te logo este poema
simples e humilde repetindo um tema
da alma humana esgotada e envelhecida...

Mil poetas outras voltas celebraram,
mas, que importa? – se tantas já voltaram
só tu voltaste para a minha vida...


(Poema de JG de Araujo Jorge extraído do livro
"Eterno Motivo"

Minha viagem...



Jose Carlos Ribeiro

Thereza Mattos





É hora de partir...
chegou o esperado momento
abraçar a todos , me despedir
fazer a inevitável viagem
deixando meus sentimentos
meus enganos e desenganos
pesando em minha bagagem
durante todos esses anos...

Sem tirar meu passaporte
vou por terra, mar e ar
não sei os meios de transporte
sem comprar alguma passagem
nem reserva de lugar
Sem lenço e sem documentos
apenas contando com a sorte...

Se por trem, no último vagão
de costas para o meu destino
olhando de frente os trilhos
como linhas paralelas
sem quase nenhum brilho
encontrando-se no horizonte
pintado como uma aquarela
colorindo rios e montes...

Se por mar, numa caravela
levada ao sabor dos ventos
balançando suas velas
sem nenhum rumo certo
e em pleno mar aberto...

Não sei em que porto atracar
a procura de algum cais
talvez até possa encalhar
num lindo recife de corais...

Se por ar, numa nuvem rosa
refletindo o por do sol
tão bela, tão formosa
flutuando num céu azul
para meu pouso encontrar
bem ao norte ou talvez ao sul
mas sem pressa de chegar ...

ANIBAL - Prosas do Tema = PASSAPORTE




Aníbal Bastos
PASSAPORTE




Ter na vida um passaporte,
Para seguir qualquer norte,
Sem dar contras a ninguém;
É ter asas para voar,
Liberdade para sonhar,
Com um mundo mais além!

Ter na vida um passaporte,
É ter por base um suporte
Que nos concede o poder;
De atravessar fronteiras,
Derrubando as barreiras,
Com que nos querem prender!

Ter na vida um passaporte,
É tornar-se livre e forte,
Para poder decidir;
O que na vida tem valor,
Quando se sofre de amor,
Se é ficar ou partir!

Ter na vida um passaporte,
Também pode ser má sorte,
Quando não for bem usado!
Quem o usa com maldade,
Abusa da liberdade
E paga um preço elevado!

Ter na vida um passaporte,
Que nos livrasse da morte,
Seria o sonho ideal;
Para quem na vida tudo tem,
Acrescentava-se também,
O poder tornar-se imortal!

Ter na vida um passaporte,
É ter um punhal que corte,
O fio que nos prende à vida!
Quando é chegada a hora,
Do adeus, do ir embora,
Por ter a missão cumprida!

A. Bastos (Júnior)

SIMONE - Prosas do Tema = PASSAPORTE


Simone Ribeiro




Quero um passaporte que me leve até a alegria...
Até o gostoso gargalhar....
Quero momento de felicidade
Sorrir a vontade 
E, quando para casa retornar
em minha bagagem trazer
a lembrança desse prazer...

Lá, numa cidade qualquer
num momento sequer
pude deixar de realizar este querer...
Rir...muito e com alegria 
Fazer coração bater mais forte...
Pois de norte a sul...
Realizei meu desejo - rir e à vontade....
Sem caras e bocas
Apenas alegria nos olhos estampados...
De todos aqueles que ali estavam....
E vendo sorriso estampado em todos e por todos os lados...

Quero que seja passaporte para a vida...
Pois desse sonho acordei....

ANGELA - Prosas do Tema = PASSAPORTE


Angela Mendes
VEM...



Vem...
traz o calor de um abraço.
Quero no teu peito,
quieta me aninhar,
desfazer meu cansaço!

Vem...
Traz muito amor.
Quero dele desfrutar.
Nas asas do vento,
No teu céu flutuar!

Vem...
traz a luz do teu olhar
para iluminar
aquele caminho 
que juntos vamos trilhar!

Vem...
Traz na bagagem
teus sonhos...
E junto aos meus
faremos um passaporte
para a nossa felicidade!


(Ângela Mendes)

DAISI - Prosas do Tema = PASSAPORTE


Daisi Oliveira de Souza
Festa de São João





Vestidinho de chita,

Trancinha no cabelo
Pintinhas no rosto
Tudo feito com zelo.



A noite chega fria,
Mesas postas com iguarias
Quando o acordeom anuncia
É a festa de São João que inicia.



Gente por todo lado,
Começou a cantoria...
Casais de braços dados
Para dançar a quadrilha.



Meia noite, o sino anuncia.
É chegada a hora de fazer a simpatia,
Na fogueira quase em brasa
Se formou a grande fila.



Gente louca... Desvairada!
Vão fazer a travessia...
Todos com os pés no chão
Como manda a tradição...



Pra passar pro outro lado
Não precisa passaporte,
Tem que ter uma reza forte
E muita fé no coração.



Pula a fogueira Iaiá,
Pula a fogueira ioiô
Cuidado para não se queimar,
Pois esta fogueira
Já queimou o meu amor.

(Daisi Oliveira e Souza)

Não tenho tempo

Maria Lucia Bueno Miranda

Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito.

Clarice Lispector


ERENI - Prosa do tema = PASSAPORTE



Ereni Wink





Bagagem pronta..
Passaporte na mão...
Respiro fundo,todo ar que a liberdade permite
Exalo alegria..... talvez um pouco de fantasia
Então... começa minha viagem
O rumo é indefinido...
Pode ser qualquer lugar ...
Desde que seja desconhecido
Conheço lugares históricos...mas não é o que eu quero
Cidades maravilhosas....pura ilusão
Desertos árido, sem vida...triste.
Oásis...porto seguro de alguém
Castelos medievais...
Não....desisto...viagem cancelada
Talvez tudo o que eu procure
Esteja dentro do meu próprio coração


29/04/2012 Ereni Wink

sábado, 28 de abril de 2012

Verdade III




Aníbal Bastos





Quando a verdade não tiver luz,
Brilhante e de forma evidente !
Não permite que os olhos da mente,
Possam ver a mentira que os seduz!

Quando a verdade não se reproduz,
Por a mentira a castrar habilmente,
Ver-se-á de seguida povo inocente,
Carregando aos ombros pesada cruz!

Quando a verdade não ouse lutar,
Pelo que é seu, será desprezada
E verá em seu nome, a mentira reinar!

Quando a verdade não reagir,
Contra quem a quer ver amordaçada,
Verá de si, a mentira a sorrir!

A. Bastos (Júnior)

Serenos





Basilina Divina Pereira




O amor está no ar.
Sopra do lado escuro da face
para que o sorriso possa brilhar.
A vida se regenera
e acena de algum lugar aonde não se imaginou pisar.
E antes que a pitangueira floresça
os frutos já se fazem rubros e suculentos
como a espera antes do toque
e o silêncio repleto de riso:
quando nada mais precisa ser dito.

Basilina Pereira

Incerteza


Fátima Custódio





É constante a incerteza, voando pelas vidas fora,
É maligna a incerteza, espalhada no mundo inteiro
É incerteza que sinto quando o meu coração chora,
Coração porque me feres, porque me és traiçoeiro?

Se junto na minha mente, em mil noites acordadas,
Produtos de fantasia, sonhos vividos em beleza,
Um monte de palavras que não são pronunciadas.
É porque sou a vítima da minha própria incerteza...

É a incerteza que comanda a minha vida...
Vida superficial, vida que não é vivida...
Sou o descontentamento do meu próprio ser...

Coração porque me feres, porque me és traiçoeiro?!
Coração que és meu amigo, volta a ser verdadeiro

Mas como pode ser diferente, se sou apenas Mulher?!

Fátima Custódio

Quem Morre?



Ereni Wink





Morre lentamente
Quem não viaja,
Quem não lê,
Quem não ouve música,
Quem não encontra graça em si mesmo

Morre lentamente
Quem destrói seu amor próprio,
Quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente
Quem se transforma em escravo do hábito
Repetindo todos os dias os mesmos trajeto,
Quem não muda de marca,
Não se arrisca a vestir uma nova cor ou
Não conversa com quem não conhece.

Morre lentamente
Quem evita uma paixão e seu redemoinho de emoções, Justamente as que resgatam o brilho dos
Olhos e os corações aos tropeços.

Morre lentamente
Quem não vira a mesa quando está infeliz
Com o seu trabalho, ou amor,
Quem não arrisca o certo pelo incerto
Para ir atrás de um sonho,
Quem não se permite, pelo menos uma vez na vida, Fugir dos conselhos sensatos...

Viva hoje !
Arrisque hoje !
Faça hoje !
Não se deixe morrer lentamente !

NÃO SE ESQUEÇA DE SER FELIZ !

(Pablo Neruda)

Você faz parte daqui