PROSAS EM VERSOS

SER POETA, É SENTIR AFLORAR DA PELE SENSIBILIDADE, É OUVIR O GRITO DOS QUE NADA DISSERAM, É VER POR UMA GAMA DE CORES INVISÍVEIS À MACROSCÓPICA VISÃO DOS INSENSÍVEIS, É PENETRAR IMPIEDOSAMENTE À ALMA HUMANA.

domingo, 2 de setembro de 2012

A Noite



Angela Mendes




Um vento fresco e suave entre os pinhais murmura;
A Noite, aos ombros solta a desgrenhada coma,
No seu plaustro de crepe, entre as nuvens assoma ...
Tornam-se o campo e o céu de uma cor mais escura.

Um novo aspecto em tudo. um novo e bom aroma
De látiros exala a amplíssima verdura.
Num hausto longo, a Noite, aos ares a frescura
Doce, entreabrindo a flor dos negros lábios, toma ...

Por vales e rechãs caminha, passo a passo,
Atento o ouvido, à escuta ... E no seu plaustro enorme
Cujo rumor desperta a placidez do espaço,

À encantada região das estrelas se eleva ...
E, ao ver que dorme o espaço e o mundo inteiro dorme,
Volve, quieta, de novo, à habitação da treva.

Francisca Júlia
in Poesias


Lucinha Santos - Tema = VAIDADE



Lucinha Santos
Vaidade




O que me mostra o espelho
quando o vejo
são rugas nos olhos
e expressões
que ao longo do tempo
se fizeram presentes
preocupações vividas
tristezas escondidas
do percurso da vida
Continuo no espelho e
gosto do que vejo
uma mulher madura
que se olha e se ama
que sua vaidade não é estar maquiada
ou de salto ou bem arrumada.
Sua vaidade é olhar pra si, pra dentro
e descobrir
que essa mulher passou, como todo mundo
por maus momentos
e esta aqui,
diante do espelho
vaidosa e cheia de si
e pode dizer sorrindo:
eu to de pé, eu consegui.

Lucinha ♥

Patricia Neme - Tema = VAIDADE?



Patricia Neme
Vaidade?



Vaidade?
É percorrer o tempo
sem enxergar seu toque,
sem aceitar seus passos
no rosto, no corpo, na alma.
Vaidade?
É renegar quem se é,
e através de artifícios,
tantas vezes com mil sacrifícios,
permitir-se uma aparência
desnuda da ancestral essência...
Vaidade?
É a língua que fala mansa,
com doçura de criança...
Encobrindo o fel, o veneno,
da furiosa serpente
que se esconde no fundo da mente.
Vaidade?
É insanidade!
É o agir da prepotência
sobre quem não tem reverência
pelo o que a vida lhe deu.
E respira, acreditando
que ainda vive...
Porém, já morreu!

- Patricia Neme -

Maria Salete Ariozi - Tema = Vaidade (EU PRINCESA)



Maria Salete Ariozi
 Eu Princesa.




Vaidosa.

Sem falsa modéstia,
Nem hipocrisia,
Sem uma máscara qualquer.
Não posso, 
Não devo...nem a mim mesma
Mentir... que não seja 
Eu Vaidosa !
Sem fazer disso exageros
Que viram vícios.
Aqueles que consomem
A alma, mascaram 
Angustiam como forma 
De escravidão...
São apenas artifícios que
Busco, para alimentar 
Uma razão...
O meu ego em questão !
Forma de beleza !
Não faço disso meu pão...
Incremento apenas o sabor
Com saborosa geléia
Dando melhor gosto ao pão, 
Pão de vida !
Sou Vaidosa !
De fora pra dentro,
Na existência interior
Preservo a consistência 
Total valor naquilo que tenho
De bonito e que enfeita
Minha natureza !


((Salete))-Set-2012
Lei do Direito Autoral ( 9610/98)

Maria Salete Ariozi - Tema = Vaidade (LEVE... LIVRE... SOLTA)




Maria Salete Ariozi
 Leve...Livre..Solta



Da infância foi levando

Toda inocência que tinha. 
Da Juventude o frescor 
E o brilho das descobertas.
A ânsia de conhecer tudo
Que era desconhecido.
Também levou todas 
As minhas espinhas...
_Graças a Deus _ !
Hoje leva-me no colo
Aos sinais primeiros 
Marcas de um tempo
Maturidade perfeita
Com muitos sonhos
Inacabados...
Assim vai ...levando...
Toda idade já vivida
Dançando livre ao vento
Solto meus pensamentos.
E vou entregando-me 
Levemente e de mansinho
No teu envolvimento
Que de mim tens...
Com encanto de ter vivido
Plena e sem medo 
De ser Feliz !
Vai...idade...vai...pode ir !

((Salete))-Set-2012
Lei do Direito Autoral(9610/98)

Fátima Custódio - Tema = Vaidade (FALSO PROFETA - O PREGADOR)




Fátima Custódio
Falso profeta - O pregador



De túnicas e vestes, de mãos estendidas,

Falas ao mundo do teu pedestal;
Falas em milagres, no bem e no mal,
Queres recuperar as almas perdidas.



Murmúrios sensíveis entre a multidão,
Sorrisos lacónicos, irónicos talvez;
Audições atentas, e na próxima vez,
Serão ainda mais a ouvir o teu sermão:



Pensas em ti, consideras-te igual a Jesus,
Num caminho sem trevas, cheio de cor e de luz,
Embrulhado em farrapos, como Jesus nasceu,



Estás convencido de que dizes a verdade,
Em voz bem alta apregoas felicidade,
Mas não queres morrer como Jesus morreu!

Fátima Custódio

Este é o meu país






Ana Lúcia Jorge





Um país q defendem ladrões, roubam td q podem.
Um país q o crime é organizado e o povo desorganizado.
Um país q muitos querem levar vantagens em cima dos outros.
Um país q não vê os idosos os deficiêntes e as crianças.
Um país q ter crianças pedindo dinheiro nos faróis virou normal.
Um país das enchentes, das filas públicas.
Um páis da miséria e da fome.
Um país da escória política.
Um país onde o crime compensa.
Um país q imploramos por atendimento médico e por remédios.
Um país da invisibilidade, invisíveis aos governantes, patrões, sociedade.
Um país onde q com o mínimo não se vive.
Um país q não pode ser e pensar diferente.
Um país onde os honestos são esmagados.
Um país onde caráter é duvidoso.
Um país onde os políticos são sempre os mesmos, os novos querem ser iguais a eles.
Um país apenas um país.
Um país ambição traição corrupção.
Um país q tem um povo q acredita em um país melhor.
Um país lindo por natureza.
Um país q td produz.
Um país com tanta gente maravilhosa.


*Ana

Keyla Alves Fernandes - Tema = Vaidade (SOMENTE VAIDADE)





Keyla Alves Fernandes
Somente vaidade



Dieta de enganos

obsessão e vaidade
corpos perfeitos
meio sem graças



A busca do quê?
por um corpo apenas?
a essência esquecida 
sem verdades
só medidas...



Vaidade é preciso
vivendo 
equilibrando 
a breve morada
do corpo físico


Keyla Alves Fernandes

Expectativas





Basilina Divina Pereira





Estou totalmente pelo avesso.
Não sei se assim me faço verdade
ou fujo do tempo que não me espera mais.
Penso que às vezes é preciso saltar no escuro
para não dizer depois que estrada passou
e os pés não a seguiram.
Como dói a expectativa do tempo que não vivemos:
há o medo da volta,
o cheiro do mistério,
esse pisar em sensações
tão intensas e incertas...
Quem dera fechar os olhos
e vislumbrar todas as chaves
na sequência que inventamos.
Mas os indícios não revelam
onde a ave irá pousar.
De certo mesmo, só o momento
em que a ousadia consentiu em voar.

Basilina Pereira

Costas viradas (Jorge Morais)




Jorge Morais




costas viradas
o sonho acabou
ficando a imagem
que a noite deixou
que os pingos de chuva
acariciou 
tristeza presente
de sonhos adiados
futuros que se perderam
porque alguém se foi
numa debandada
deixando somente
uma recordação passada
palavras ditas 
por demais faladas
por demais omitidas
outrora bonitas
quiçá pintadas
pouco entendidas
muito aumentadas
por não serem descritas
nunca discutidas
foram assim
mal interpretadas

jorge morais


Daisi Oliveira de Souza - Tema = VAIDADES...




Daisi Oliveira de Souza
Vaidades...



Vaidades estúpidas!
Todas movidas pelo ego,
Doença social que perdura
Mutilando as criaturas.
Vaidade... Culto ao externo
Desperta a tirania humana.
Porque tanta gana? 
Vaidade, igual à competitividade,
Ultrapassou a barreira da normalidade
Sociedade insana;
Buscam somente o prazer temporário;
Bonecos vazios que vivem a lamentar...
O seu azar?
Ora! Valorizar as coisas mundanas e banais?
Vampiros do sucesso alheio...
Afinal, quem somos nós?
Indigentes necessitados do olhar terceiro
Pois o próprio... Já não suporta mais.
Vaidades...


Mô Schnepfleitner - Tema = VAIDADE










HOJE EU ME DISPO
DE TODA A VAIDADE
ATÉ DA QUE NÃO TENHO
TALVEZ NUNCA TIVE,
LAVO A MINH'ALMA
COM O CALOR DA AMIZADE
DO MEU AMOR, FICOU A SAUDADE
ME ENTREGO AGORA
NAS MÃOS DO FUTURO
VIVENDO O PRESENTE
COM TODAS AS FORÇAS
AS VAIDADES FICAM
GUARDADAS NA GAVETA
COMO UMA ROSA 
QUE PERDE SUAS PÉTALAS
E RENASCE AO LADO
DE NOVO COMPLETA.

Mô Schnepfleitner

Fatima Pessoa - Foto = Monet



Fatima Pessoa
Monet




Com o pincel se fez gênio
Com a pintura se tornou imortal
Com uma profundidade intensa
Parecia que alcançava o céu
Em sua trajetória de artista
Demonstrava uma vibração de paz
E as "manchas" de cores puras
Com sua sensibilidade de poeta
Fizeram de sua pintura luz!
(Fatima Pessoa)

Aníbal Bastos - Tema = VAIDADE





Aníbal Bastos
VAIDADE




A vaidade é como o sal,
Ao temperar uma comida:
Se é demais, fica salgada!
Se é de menos, fica enxabida!
Mas se for equilibrada…
Fica bem e não faz mal!

Seja novo, seja velho,
Cada um tem o seu gosto,
De mostrar à sociedade,
A beleza do seu rosto!
Mas às vezes, na verdade,
Procura enganar o espelho!

Com a idade avançada,
As rugas vão aparecendo,
Os seios perdem firmeza;
A barriga vai crescendo
E assim sendo, a beleza,
Precisa de ser cuidada!

Se a vaidade está primeiro,
Não existem problemas,
A estética tem processos,
Para resolver estes dilemas
E para eliminar os excessos:
Basta querer e ter dinheiro!

Quando a má sorte domina,
Fazendo de cada dia,
Uma situação precária,
Onde não há alegria,
A vaidade é necessária,
Para elevar a auto-estima!

Duas faces tem a vaidade:
Uma boa, outra funesta!
E uma e outra são usadas!
Usando a que não presta,
As mentes alienadas,
Amantes da falsidade!

A. Bastos (Júnior)

MOIRA STUDART - Tema = VAIDADE



MOIRA STUDART
VAIDADE





EU VAIDADE
NO TEMPO DE MOCIDADE

OUTRORA FOGOSA 


DENGOSA

VAIDOSA
AGORA MAIS FORMOSA...


LEMBRO DA VAIDADE

ENQUANTO TENRA IDADE
DE TANTA MAQUIAGEM
A MUDAR IMAGEM...


HOJE SEM TANTA VAIDADE

NA MINHA MELHOR IDADE
OLHO NO ESPELHO
COM MUITA SAUDADE
PRA ONDE FOI AQUELA VAIDADE...


MOIRA STUDART

Basilina Divina Pereira - Foto = O QUE DIZEM AS CORES




Basilina Divina Pereira
O QUE DIZEM AS CORES




Subir pelos raios da manhã
e esconder-se entre as pestanas da tarde:
eis a utopia do artista!
E antes que a noite exale o seu perfume,
colher uma cor para cada letra,
nascida de um soneto ou de uma valsa.
Marchar sobre pinceladas místicas,
desvirtuando os tons já editados,
para que da tela nasçam asas
que ultrapassem o tempo e a moldura.

Basilina Pereira

Mô Schnepfleitner - Foto = MONET



Mô Schnepfleitner
MONET




A primavera o encantou
artista de tantas visões
com seus jardins japoneses
que tantas vezes retratou.

Cores suaves, tons pastéis
momentos lúdicos, familiares
com o toque impressionista 
que a todo o olhar conquista.

Encantou a toda gente
com imagens de candura
pintou a vida como ela é
mas sempre com muita doçura.

Mô Schnepfleitner
02/09/2012

Simone Ribeiro - Foto = CALMARIA



Simone Ribeiro
Calmaria




Com calma, 
pinceladas certas
amor no que fez
e transmitiu...

Assim foi Monet!

Traduziu, 
em suas obras
o cotidiano!

Nada mais fez....

Mas com graça
e a habilidade 
de acertar cores 
e tonalidades...

Famílias...
Paisagens...
Amigos...
Amores...

Aaaahhhhh.....
Os amores....

Sua Camille...

Sua modelo,
seu amor
e se torna sua esposa...

Enfim...

Artista que nos impressiona,
por detalhes 
e pormenores...

Aqui fica uma homenagem
Ao homem
artista e amante...

Obrigado!
Obrigado por suas obras,
lições...
e amor ao que faz...

Traduziu com perfeição
sua época,
conceitos e manias...

Costumes e modas...
Atitudes....

Impressionou...
E até hoje
ainda nos chama atenção...

Autoria: Simone Ribeiro.

Ana Marques Summa - Tema = Vaidade (COM OU SEM VAIDADE?)



Ana Marques Summa
Com ou Sem Vaidade?




Com vaidade temos satisfação.
Sem vaidade não há fortuna.
Com vaidade podemos criar e inventar até mesmo um personagem.
Sem vaidade o inevitável acontece.

Com vaidade temos um bom desempenho.
Sem vaidade estamos no caminho certo.

Com vaidade é orgulhar-se da sua estampa.
Sem vaidade não dependemos do nosso estado ou da nossa estampa.

Com vaidade a mente cria padrões dos certos quando nos orgulhamos dos nossos certos.
Sem vaidade, nos orgulhamos! Por que não?

Com vaidade ou sem vaidade, viva intensamente sem se preocupar com o mundo, com os erros ou com os acertos, se preocupe com você.

Com vaidade ou sem vaidade? Eis a Questão.

Autora: Ana Marques

Basilina Divina Pereira - Tema = Vaidade (SEM VAIDADE)




Basilina Divina Pereira
SEM VAIDADE




Amigo da tela azul,
que chegou bem de mansinho,
talvez seja o vento o sul
que me mostrou seu carinho.

Ele é feito de palavras,
pequenos gestos, constância,
uma sensação que grava
sua presença em minha lembrança.

De fato não lhe conheço,
mas percebo a sua alma
e se hoje lhe tenho apreço
é por sua presença calma

que me afaga por tão pouco:
por um poema, um alô,
carícias em versos roucos
que com emoção lhe dou.

E minha alma de poeta
lhe agradece de verdade
com o coração em festa:
só alegria, sem vaidade.

Basilina Pereira

Fatima Pessoa - Tema = Vaidade (MISTERIOSO)




Fatima Pessoa
Misterioso




Exuberante
Real e vaidoso
Estilo de rei
Surge deslumbrante
Entre tantas coloridas
Ele tem plumagem negra
Ele é glorioso
Sua extrema beleza
Chama a atenção
Exótico e extravagante
Misterioso por natureza
Ele é puro glamour
Mas esconde 
Uma modéstia rara
Não pode voar!
(Fatima Pessoa)

Márcia Regina Lopes - Foto = JARDIM SECRETO





Márcia Regina Lopes
Jardim Secreto



Meu jardim secreto 
É dentro do meu coração
Colorido de cores suaves
E com muita pretensão
Como uma tela de Monet
Que emociona ao primeiro olhar
E alimenta quem ficar
Meu jardim secreto
É digno de um rei
Mas para reinar nesse jardim
Tem que que merecer
Tem que ser súdito, príncipe e rei
E tudo só pra mim!
E terás um jardim só pra você
Colorido e lindo 
Garanto que você meu rei
Viverá somente sorrindo!


Márcia Regina Lopes - Tema = VAIDADE





Márcia Regina Lopes
Vaidade



Se tenho vaidade
Hoje de verdade
É viver cercada de amigos
Amigos doidos, elegantes
Calados, falantes
Amigos com todos semblantes
Uma coleção de amigos
E dar uma festa e nela
Poder encontrar um pedacinho de mim
Em cada um deles
Em cada olhar poder me ver
E saber que um dia fiz algo de bom
De bom som e bom tom
Aos meus melhores amigos

João Paulo Brasileiro - Tema = Vaidade (CLAVES E VAIDADES)




 João Paulo Brasileiro
Claves e Vaidades




O teclado do meu piano, envaidecido
Me trás vontades e angustias...Ilusões!
Mostra um pedacinho das claves que em meu peito
Em teu nome, transformam-se em canções!

São notas embebecidas por afetos
...São lágrimas em tão tons menores
Porque de tanto te amar, minha’alma já está muda
E muda a cada instante, buscando rimas melhores

Mas, como faço para cuidar de mim
Se a vaidade dos teus olhos, buscam outra direção
Somente meu piano, com suas cores poucas
Faz Arco Iris, tentando dar cor ao meu coração!

João Paulo Brasileiro

Maria Salete Ariozi - Foto = SUAVIDADE



Maria Salete Ariozi
Suavidade




Tão singelos !
Tão puros !
Leves toques juntaram-se
No branco da tela...
Pinceladas de suavidade
Ali foram aplicadas
Ordenadamente buscadas nos
Tons suaves de um arco íris.
Emoções transmitidas
Sentidas em nostalgias
Romantismo
Fantasias...
No composto das cores 
Escolhidas nos mostrariam
Quantas inspirações viriam...
Obra de arte extraída 
Verdadeiramente da alma
Figurada pela sublime 
Mão do artista !
Brandura nas cores,
Sutilezas dos traços,
O encanto nascia 
Numa tela, em forma
De poesia !

((Salete))-Set-2012
Lei do Direito Autoral (9610/98)

Você faz parte daqui