PROSAS EM VERSOS

SER POETA, É SENTIR AFLORAR DA PELE SENSIBILIDADE, É OUVIR O GRITO DOS QUE NADA DISSERAM, É VER POR UMA GAMA DE CORES INVISÍVEIS À MACROSCÓPICA VISÃO DOS INSENSÍVEIS, É PENETRAR IMPIEDOSAMENTE À ALMA HUMANA.

quarta-feira, 4 de julho de 2012

ERENI - P. da FOTO = ABANDONO




Ereni Wink
ABANDONO




Meu deus o que foi que eu fiz
Para merecer tanto sofrimento
Se o amor que eu tanto quis
Desprezou-me... Jogou-me ao vento.

Como uma folha abandonada eu rolei
Perdi o brilho, lentamente murchei. 
Por pés ingratos fui Ferida
Não resisti a tanta dor e sequei.

Rastejei por caminhos infecundos
Alma chorando e coração a sangrar
E a quem eu doei toda a minha vida
Há de um dia aprender a amar.


Florianópolis 04/07/2012 Ereni Wink

MÔ - P. da FOTO = LIBERTAÇÃO


Mô Schnepfleitner
Libertação




É noite
tudo é silêncio
Quero gritar
mas não posso
Estou amordaçada
pelos pensamentos
vagas lembranças.
Sinto-me sufocar
e no esforço
da sobrevivência
solto as amarras
Grito com todas minhas forças...
preciso re-viver.
Depois ,me deixo flutuar
à deriva
no mar verde
da esperança.

Mô Schnepfleitner


LIGIA = P. da FOTO = SILÊNCIO




Ligia Shlochmann
SILÊNCIO




ONTEM....E HOJE
PASSEI DA REFLEXÃO
A CONTEMPLAÇÃO 
SILÊNCIO....psiiiiuuuu....

QUERO ME PERMITIR
A ESTAR EM ESTADO DE MEDITAÇÃO....
PARA SABER O QUE VOU FAZER
COM MINHA PERPLEXIDADE
QUE MAIS PARECE UM ÊXTASE
ESTOU PRETÉRITA DE TANTA
INGRATIDÃO....DE TANTO DESAMOR
RESPOSTA ME DEU A SOLIDÃO
AME...AME...SEMPRE AME..
OS QUE NÃO ENTENDEM 
SUAS DORES..........
POR ISSO ONTEM E HOJE...
ESTOU EM PURA INTROSPECÇÃO.


inverno?julho/2012.

MÔ - P. do Tema = VIOLEIRO (Som de Viola)



Mô Schnepfleitner
SOM DE VIOLA



Peguei minha viola
pulei no meu cavalo
e saí por aí..
Atravessei campos,
vales e coxilhas
à procura do meu amor..

Em cada Estância amiga
uma parada
para um mate amargo
e uma proseada.

Em volta da fogueira
eu e minha viola
a música sempre 
fazendo fundo 
à minha busca.

Mô Schnepfleitner

LIGIA - P. do Tema = VIOLEIRO ( Viola)




Ligia Shlochmann
VIOLA




PEGUEI MINHA VIOLA
FUI PARAR EM ANGOLA.
A BARCAROLA BRASILEIRA
ME TROUXE APRESSADAMENTE
DE VOLTA........AI..AI..
COM BÚSSOLA NA MÃO
SEM RUMO E CANÇÃO 
NO CORAÇÃO..............
ENCONTREI UM CANCIONEIRO,
SENTAMOS NA PORTA DA ESCOLA,
CANTAROLAMOS..................
MÚSICAS DE VIOLA....CHAMAMOS
ATENÇÃO DOS RAPAZOLAS
QUE ENTOARAM CANÇÕES DE
AMOR...... ENQUANTO A MENINA
CAROLINA....CAROL...CAROLA...
NÃO HAVIA MEIO DE CHEGAR....
UM VULTO TORNEADO APARECEU
ENTRE AS SOMBRAS DO LUAR..A BELA
CAROLINA.....CAROL....CAROLA
SIMPLESMENTE DISSE...
OLÁ, AGORA CÁ ESTOU,
PARA OUVIR A VIOLA TOCAR.

Ligia Shlochmann 
inverno/julho/2012.

KEYLA - P. do Tema - VIOLEIRO




Keyla Cantinho Goiano
VIOLEIRO




É você Violeiro
que veio me encantar
na minha meninice de ser
seu jeito matuto 
sua moda de viola
tocou meu coração ao alvorecer

O olhar de homem
e as mãos calejadas da lida
e da estrada
era uma paixão que se formava
em uma noite enluarada

O tempo passou
a menina mulher se formou
mas aquele chapéu de couro
e a voz firme e rouca 
em mim ficou

Keyla Alves Fernandes

Quase Poesia




Basilina Divina Pereira





Em algum lugar as horas esperam.
Há um canto querendo nascer
pra colorir a manhã de orvalho.

Em algum lugar as pedras choram.
Os homens não perceberam que o paraíso é aqui,
o seu tempo é hoje, agora,
e a flor é quase poesia.

Basilina Pereira

MARCIA REGINA - P. do Tema = VIOLEIRO



Márcia Regina Lopes
 VIOLEIRO




Pessoas reunidas, rindo, falando alto
Alguém anuncia, o violeiro vai tocar
Todos se encaminham rumo a ele
Fazendo uma roda, não há uma ordem
Muito menos lugar de honra
Todos só querem estar perto do violeiro
E poder ouvi-lo tocar
A moda começa, tudo para
Parece que o mundo se emudeceu
Ficamos alí como que anestesiados
Enfeitaçados e acariciados pelo som da viola
Esquecemos de tudo, desapegamos
Perdoamos, amamos e sonhamos
Tudo o que nos incomoda se dissipa
E ficamos alí ouvindo aquele som
E torcendo muito para que a música não se acabe
E que o violeiro não se cale
Toca violeiro!


SIMONE RIBEIRO - P. da FOTO = CALAR





Simone Ribeiro
CALAR





Me calo, às vezes
por medo ou resguardo
de não me deixar sofrer
não me deixar perder
nesse mundo de loucos!

Não há mais confiança
Amor e ternura....
Tudo se perde na lembrança
de uma infância!

Hoje apenas medos e tristezas...
Quero gritar ao mundo....
- Eu sei amar...
Mas quem terá
a capacidade de ouvir?

Apenas sigo minha vida....

LUCINHA SANTOS - P. da FOTO = SILÊNCIO


Lúcinha Santos
Silêncio




Não me olhe
e nem fale.
fique com sua boca fechada de fel.
Bem longe de mim boca maldita
que atormenta minha vida
Que quer destruir meus sonhos
e esperanças
Fique calada e não fale nada
por que só em abrir a tua boca
escorre o veneno
e isso me faz mau
Não traga tristeza ainda tem alegria
não traga dor aonde tem fantasia
não traga desavenças aonde tem harmonia
Fique longe de mim
e de todos que amo
E acostume-se daqui em diante
a ser assim
Por que pra tua boca tem cura
simplesmente ignorar
todo o mau que nela há.
Por que o mau a gente combate assim
com flores, perfume e amor sem fim.
Lucinha ♥

SIMONE RIBEIRO - P. do Tema = VIOLEIRO




Simone Ribeiro






CANTA EM PROSA E VERSO
DORES DE MUITAS ALMAS
E AMORES DE MUITAS PARADAS
CHEIRO DE RELVA MOLHADA
E A FLORADA DA PLANTAÇÃO....

CANTA DE UM TUDO
MAS NUM CONSEGUE 
CANTAR SUA DOR,
POIS SUA VIOLA CHORA
A CADA DOR SENTIDA
POIS CADA DOR SOFRIDA
FAZ PARTE DE SUA VIDA...

PAULA TEIXEIRA - P. da FOTO = METAMORFOSE


Paula Teixeira
METAMORFOSE.




Porque calhas a mim?
O tédio é inmenso 
e a dor tem um fim.

Sofri uma metamorfose
sou um inseto 
voando em volta da lampada
será que este é o meu fim?
oh, pobre de mim ...

Ñao me calhes! 
Ñao serás melhor assim ...
Ñao te rias de mim !
O fim chega á todos 
dando cabeçadas contra o fogo.

Ñao sou fingida, quero falar sim!
Meu voo é mortal, 
Ñao posso evitar ao meu próprio fim ...
Que queres de mim? 
empurrar-me até a luz ou provar do néctar 
das flores do meu jardim?
oh, pobre de mim !
através da luz espero ,
ser alguém grande assim...



PAULA TEIXEIRA - P. do Tema = VIOLEIRO (Avó Júlia)


Paula Teixeira
Avó Julia.




Ainda me lembro,
daquele terreiro ,
do seu calor,
ainda me lembro
daquele fogao de lenha
com as suas chamas 
Mama!
ainda sinto o sabor
daquela sopa
a mais boa!
Mamae de todos
com algo de loucos
com o lenço na cabeça
a frente bem direita!
bravura mineira
sangue sertaneja.
aqueles tempos de terra vermelha 
e fogo no quintal
ja ñao voltam
milagres vistos
na imagem do Santo Cristo Vivo!
Saudades ! das lenhas e das nossas tardes!


MÔ - P, da FOTO = GRITO


Mô Schnepfleitner
GRITO




Trancada 
no meu silêncio
o pensamento voa
nada inocente.
Fico a imaginar
teu corpo 
contra o meu,
seus braços 
me enlaçando..
E eu, então
num delírio
de felicidade 
e êxtase
grito e grito
com meus olhos.

Mô Schnepfleitner

LUCINHA - P. do Tema = VIOLEIRO


Lúcinha Santos
Violeiro



Te aproxega vivente
encosta o pelego do baio
e te arreia 
Coloca um mate na mão
e vem prosear na roda de chimarrão
Mostra o som do Sul
com as mais lindas cantigas
tocadas na viola
com a costela no fogo de chão
com o pala pra esquentar na madrugada fria
junto com a viola o gaiteiro
tira da voz os versos
que faz as prendas terem um arrepio
Gaucho que é gaucho e assim
Neste mundão de meu Deus
para tudo e fica na roda de amigos
na viola, na gaita e no chimarrão

.lucinha ♥

JOSÉ CARLOS - P. do Tema = VIOLEIRO


Jose Carlos Ribeiro
Eu choro sobre a minha viola




Se um dia você voltar
E seguir os passos do nosso amor
Você não encontrara mais o seu caminho

Se um dia aqui você vier
Você vera a casa como eu
Ela tem seu coração abandonado
E suas portas grandes abertas a todos os ventos

Não procure muito mais tempo
Eu choro sem parar 
sobre a minha viola
A nossa linda história de amor
Que nunca terá fim 

Você que tão cedo partiu
Para nunca mais voltar
Hoje só me resta o som de sua voz
Meu coração se rasga lentamente
Se rasga com doçura

E eu choro de novo
Sobre a minha viola
A nossa linda historia de amor
Quando eu morrer 
Me enterre junto o meu amor
Com a minha viola

J.C

DAISI OLIVEIRA - P. do Tema = VIOLEIRO (Vida Simples)


Daisi Oliveira de Souza
Vida simples





Coisa linda ver o amanhecer,
A natureza em seu despertar
Trazendo o colorido da vida
E cedinho ouvir o galo cantar,
O gorjear da passarada
Junto com o ouriçar da criançada.
Vizinhança passando (Diaaa!!).
Rádio ligado para ouvir o violeiro,
Quando o sol do meio dia
Reúne para o almoço toda a família 
Até as cigarras vem cantarolar,
Nesta vida simples (cheia de vida)
Com vagalumes a voar a noite se ilumina 
Nessa mata que não me canso de admirar.

Daisi Oliveira e Souza
04/06/2012

*Foto pessoal com meu filho de modelo.

ANIBAL - P. do Tema = VIOLEIRO ( VIOLA)




Aníbal Bastos
VIOLA




Viola que me recordas,
Quando oiço as tuas cordas,
Soltar gemidos de dor,
Os tempos de antigamente,
Uma viola inexperiente,
Nas mãos de um fraco tocador!

Viola corpo de mulher,
Que não o toca qualquer,
As tuas cordas são veias;
Aonde o sangue lateja,
Por as mãos de quem deseja,
Mas nunca por mãos alheias!

Das vezes que te toquei,
Muitas delas me enganei,
E o som saía trocado!
Por não te saber dedilhar,
Não te quis para acompanhar,
Na minha vida, o meu fado!

Pus-te de lado e parti,
Só que nunca consegui,
Outra viola encontrar!
E quando as dedilhava,
Na minha mente soava,
O teu antigo trinar!

O tempo foi-se passando,
E eu de viola trocando,
De acorda com as baladas!
Tantas violas toquei
E noutras tantas encontrei,
Violas desafinadas!

Viola da minha vida,
Jamais serás esquecida,
No meu fado em descantes!
Que dou por mim a sorrir,
Ao pensar estar a ouvir,
O teu trinar como dantes!

A. Bastos (Júnior)

SALETE - P. do Tema = VIOLEIRO (Chora na Viola)


Maria Salete Ariozi
Chora na Viola




Chora na Viola - Violeiro - 
Trás neste som seus acordes.
Seu puro canto cor de prata, 
Para encantar sua amada,
Debruçada na janela
Em noite enluarada.

Chora na Viola - Violeiro -
Apaixonado...
Deixa seu pranto falar
Saindo solto de sua viola.
Dizendo para sua amada
Que no seu peito
Ela é toda graça.

Chora na Viola - Violeiro -
Este seu choro de amor
Encantado...
Com seu rosto banhado
Pelas lágrimas de dor,
De homem apaixonado. 

Chora na Viola - Violeiro -
Este seu pranto que encanta.
Trazendo sua amada 
Para perto com um beijo
Que é seu encanto, o canto
Feitiço do Violeiro.

((Salete)) Julho-2012

ANGELA MENDES - P. da FOTO = SEM VOZ


Angela Mendes
SEM VOZ...





Emudeci...

calei minha voz
morri por dentro
apenas sobrevivi...
A quem dizer
estou com saudade
te amo
dá um abraço
estou triste
estou feliz
dá um colo?
Emudeci...
A voz calou
junto a meus sonhos.
Fui amordaçada
por tanto tempo...
Mas é hora
de quebrar o silêncio,
de viver sem demora!

(Ângela Mendes, 04/07/2012)

JOÃO P. BRASILEIRO - P. do Tema = VIOLEIRO (Ilusão de um Violeiro)





João Paulo Brasileiro
Ilusão de um Violeiro



Ela pediu que eu deixasse o campo
Eu deixei...
Prá que eu parasse com a viola e o laço
Eu parei...
Que me afastasse da minha roda de amigos
Eu me afastei
Nem as canções que adorava cantar
Não mais cantei...
Meio sem jeito, aqui pra cidade
Eu mudei
Meio perdido, sem conhecer nada
Me arranjei

Vendi tudo o que tinha no celeiro
O meu cavalo
Meus sonhos
Meu mundo inteiro
Os sacrifícios que fiz por este amor
Só eu sei

Agora estou aqui sozinho
Procurando abrigo
Iludido, acreditei que ia ter felicidade
Ela me prometeu um mundo, e só me deu castigo
O que é que faço com esse imenso vazio
Quem é que vai me proteger do frio
Desta saudade...

ANGELA MENDES - P. do Tema = VIOLEIRO (A Volta)



Angela Mendes
A VOLTA




Cai a tarde
a brisa sopra tão mansa 

e a lua surge
espiando por detrás dos montes.
Ouço ao longe 
os acordes tristes da viola
e meu coração bate no peito
e eu fico toda sem jeito
à espera do violeiro 
que meu coração consola...
Abro as janelas, 
as da alma também,
pois sei que logo ele vem
trazendo consigo todo carinho
junto ao som do pinho.
Foi levar a boiada
e com ele foi meu coração
só a saudade 
restou por companheira 
ficou faltando um pedaço em mim,
sinto falta do seu abraço.
Mas ao ouvir o som do berrante
ouço o rangido da porteira
vejo que já não está tão distante...
E meu coração aos saltos
transborda de emoção!
Ouço os acordes da viola
e a lua se esconde zombeteira,
não quer testemunhar 
aquela que ficou prisioneira
da saudade a te esperar.

(Ângela Mendes, 04/07/2012)


.

JOÃO P. BRASILEIRO - P. da FOTO = OLHAR




João Paulo Brasileiro
Olhar




As meninas dos teus olhos
Inocentes, mostram liberdade
Contam as cores dos teus segredos
Cantam serenas suas verdades
E os meus olhos, um pouco sem jeito
Sentem que precisam olhar
Para ver tanta ternura
E te pedir, para um instante me amar
Mas, as meninas desses olhos
Sabem quando devem piscar
E no momento em que te olho
Eles resolvem fechar
Enquanto houver jardins
E borboletas no ar
Haverá dentro de mim
Forças e sonhos a lhe esperar!


ERENI - P. do Tema = VIOLEIRO




Ereni Wink




Viola encantada
Deitada na minha rede
A sombra do ipê em flor
Ouço um som 
Quase inaudível
De uma viola encantada
Que pelas tardes e madrugadas
Faz-me sonhar acordada
Nesse momento sublime
Meus sentidos se aguçam
Meu coração se agita
Quero saber onde fica 
O violeiro misterioso
Até antevejo o gozo 
De tão sublime presença
Sigo o som
E eis que encontro
Para meu deleite e encanto
Chapéu quebrado na testa
Fazendo-me uma seresta
Então assim só me resta
Declarar-lhe meu amor.

Florianopolis 03/07/1012 Ereni Wink


ERENI - P. da FOTO = SILÊNCIO




Ereni Wink
SILÊNCIO




Você...

Um ser fechado

Cheio de doçura e mistérios
Como um frasco de mel 
Hermeticamente selado
Onde eu ( uma abelha) 
Quis entrar...e me deleitar
Mas... Teu silencio me afastou. 



Ereni Wink
Florianopolis 03/07/2012


FÁTIMA PESSOA - P. do Tema = VIOLEIRO (Viola)



Fatima Pessoa
Viola



Com a minha viola e apaixonada
Percorro esse mundo de Deus
Esse sertão bem brasileiro
Tentando encontrar um violeiro
Um violeiro que toca
Como a minha alma gosta
Com ternura e emoção
No silêncio das andanças
Na minha caravana da esperança
Eu chego naquele sertão
Escutando a cantoria dos pássaros
Aí eu peço a sua mão
E falo com o meu coração!

(Fatima Pessoa)

FÁTIMA & ERENI - P. do Tema = VIOLEIRO (A Lua e a Viola)



Fatima Pessoa
Prosas do Tema: Violeiro
Letra: Ereni Wink e Fatima Pessoa
Arranjos: Angela Mendes
Música: Tristeza do Jeca


A lua e a viola

Com amor e com carinho
Eu ando no meu sertão
Em forma de passarinho
Canto uma bela canção

Quando a noite se aproxima
E a lua apaixonada
Fica mais que encantada
E com saudade "faz clarão"

Eu canto versos singelos
Mas muito apaixonados
Em homenagem a lua
E a você, meu amado

Da viola arranco acordes
Pra esconder minha tristeza
O coração palpitando
E sonhando com os seu beijos...


Você faz parte daqui