PROSAS EM VERSOS

SER POETA, É SENTIR AFLORAR DA PELE SENSIBILIDADE, É OUVIR O GRITO DOS QUE NADA DISSERAM, É VER POR UMA GAMA DE CORES INVISÍVEIS À MACROSCÓPICA VISÃO DOS INSENSÍVEIS, É PENETRAR IMPIEDOSAMENTE À ALMA HUMANA.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Lamentação (Daisi Oliveira de Souza)





Daisi Oliveira de Souza



Dei-te meu abrigo, fiz de mim um porto seguro,

Onde pudesse teu corpo cansado ancorar,
Ninei teus sonhos com o canto do rouxinol
Sequei tuas lágrimas, como a uma gota de orvalho,

E ainda assim... Desprezas o meu jardim
Desconheces a beleza do amor (te enganas),
Falsas joias ofuscam o teu olhar
Impedindo que se volte para mim;

Na penumbra da tristeza que me toma
Nem mesmo do jasmim o suave aroma
De mim consegue a dor emanar

E na cor carmim a cada por do sol
Haverá sempre um lindo girassol
A tua ausência sentir e lamentar.

Daisi Oliveira de Souza
         Lei 9610/98

Gira o sol (Mô Schnepfleitner)






Gira o sol
vira lua
só prá dizer
que ainda 
sou tua

Amarelo vivo
pura luz
quero ver
se tu me seduz
o teu brilho
não me ofusca
sigo em tua
eterna busca.

Mô Schnepfleitner
dez/2012

Campo De Girassóis (Ereni Wink)




Ereni Wink




A minha frente 
Um campo de girassóis em flor
Galáxia campestre 
De dourada cor
Ouro vivo ao saudar o sol
Em uma dança lúdica
Tocada pelo vento.
Um paraíso a parte 
Em pétalas suaves
Tal qual o beijo
Do meu amor distante.


Florianópolis 14/12/2012

Gira Sol (Ereni Wink)





Nasceu na minha sacada
Enfeitando a janela
Em tom amarelo dourado
Como se fosse uma aquarela.

De manhã recede a luz
Porte ereto ao meio dia
Quando o sol se Poe se curva
Em reverencia a mais um dia

Quando a lua aparece
Prateando a paisagem
Os tons ficam indizíveis
Parecendo uma miragem

Embeleza as minhas noites 
Nos braços do meu amado
Entre lençóis eu me perco
Gira sol amarelo dourado.

Florianópolis 14/12/2012
Ereni Wink

Girassóis (Delci Elena Corbari Pereira)



Delci Elena Corbari Pereira




Por que gira o girassol?
Te preciso tanto, por quê? 
Ele pela luz e calor do sol
Eu, por tanto amar você.

O meu coração por você pulsa
Já não sei por quem pulsa o seu
Por mais lindos girassóis que eu veja
No meio vejo o semblante teu.

O vento as corolas balançando 
Do imenso espigão plantado
De chuva e sol precisando
De girassóis celeiro lotado

E eu sigo desorientado e sofrido
Esperançoso com você a sonhar
Conto com esse amor sentido
Para um dia com o seu somar.

Enquanto, em cada flor do girassol
Abelhas do pólen, fazem o mel
As maritacas comem no arrebol 
Sem seus beijos sinto o amargo do fel. 


Delci Elena 14 Dezembro 2012

Pétala (André Alves)




Olhar 
Aceso
Miolo
Mexido
Rosto 
Virado
Acréscimo 
Dia
Movimento
Solar
Flor 
Amarela
Luz
Contorno do campo
Perfume de ouro
Preciosidade
Verde 
Vida 
Terra 
Motivos
Argumento 
O sol
Desabrochada
Girassol. 

André Alves

Gira o Sol ( Mô Schnepfleitner)



Mô Schnepfleitner




Por todos os lados
ela vê girassóis,
a doce menina
Eles lhe olham
e eles lhe sorriem
e dizem para ela 
com sua amarela
e cândida alegria -
Viva a vida e sorria
pois a luz que irradias
com certeza
também iluminará
a passagem colorida
dos nossos dias...

Mô Schnepfleitner
dez/2012

Gira, Girassol ! (Angela Mendes)




Angela Mendes





Há um encanto especial
na flor do girassol,
sempre se volta para a luz,
assim que surge o sol,
beleza que me seduz.
E gira, gira,
para seguir o astro-rei
de fronte erguida,
vestido de amarelo sensual,
numa dança exótica,
magia sem igual.
Ao anoitecer,
pende a corola
e agradecido
se enrola, adormecido.

Ângela Mendes, 14/12/12.

Girassóis (Fatima Pessoa)



Fatima Pessoa




E gira o mundo...
Gira a vida
Gira o sol
Gira o dia
E resplandecentes...
Nascem os girassóis
Representando a vida
Sem espinhos
Brilhantes
Luminosos
E como num mar 
De ondas amarelas
Florescem no campo 
Espalhando cores
Trazendo a sorte
Balançando ao vento
Semeando paz
E com os seu movimentos
Iluminam o mundo
Iluminam o sol
Transformam a vida
E exuberantes
Surgem...
Os girassóis!

Fátima Pessoa

Girassol (Ligia Shlochamann)





GIRASSÓIS ESPALHADOS
NA CAMPINA, EMBRIAGANDO
AS MENINAS E OS PÁSSAROS.
HÁ UM GIRASSOL.........
NO PAIOL, ESPERANDO SER
LEVADO PARA SALA E 
ADORMECER NUM SOLITÁRIO
VASO, ATRAVÉS DA JANELA
ENTREABERTA RECEBER O 
ACALENTO DE UM RAIO DE SOL
E A CARICIA DE UM ROUXINOL.
LINDO GIRASSOL............

Ligia Shlochmann
14/dez/2012.


Girassóis da Infância (Moira Studart)



Moira Studart




Guardo na memória
Mamãe contando história
Quando ainda criança
Cheia de esperança
Tenra idade
Pouca mentalidade
Admirava a ama Dolores
Fascinada por flores
Durante toda estação
Os cuidados com sua plantação
Lindos e imponentes girassóis
Amarelos de vários tons
Bailavam aos sons 
De pássaros cantando
Sempre em busca do sol
Acordam e dormem com o sol...


Moira Studart 14/12/2002

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Hipocrisia (Aníbal Bastos)




Aníbal Bastos





Entre todos os males, eis o maior
Que pode existir na raça humana!
Com um sorriso gaiato engana
E, para comover finge sentir dor!

Isenta de consciência, ou pudor,
Falsa como tudo que dela emana!
Figura perversa! Mente insana,
Ilude tudo e todos ao seu redor!

Erva ruim de uma sociedade,
Mais fatal que veneno de serpente
Que sem morder, envenena de verdade!

Isto é um monstro, ou é fantasia?
- Pergunta incrédula a pobre gente -
É monstro sim! Chama-se hipocrisia!

In, HIPOCRISIA “Versos Imperfeitos”

Somos Nós (Lucrécia Rocha)



Lucrecia Rocha




Há dias que somos alegria
Há dias que somos tristeza.

Há dias que somos sonhos,
Há dias que somos pesadelos.

Há dias que somos esperança
Hàdias que somos descrença.

Há dias que somos imbatíveis,
Hà dias que somos falíveis.

Há dias que somos certeza,
Há dias que somos dúvida.

Há dias que somos felicidade,
Há dias que somos mágoas.

Há dias que somos rosas,
Há dias que somos espinhos.

Há dias que somos multidão,
Há dias que somos solidão.

Há dias que até pensamos
Que tudo temos,
Que tudo somos,
Mas....
Há dias que nada temos
Há dias que nada somos.

Por Lucrecia Rocha - Confissão em Versos. Salvador: Cogito, 2012.

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Simplesmente Eu (Paulo Cardoso)



Paulo Cardoso





Eu possuo a forca de uma montanha
O olhar de uma alma apaixonada
O beijo de um amante
A Tranquilidade da aguas de um lago
A paciencia de um monge
Mas de nada vale tudo isto
Se nao possuir o toque de suas maos a me afagar
em nossas noites de amor.

PAULO CARDOSO

O Princípio do Fim (Aníbal Bastos)



Aníbal Bastos






As diferenças materiais,
Entre grandes e pequenos,
Estão-se tornando abismais!
Por esses motivos tais,
Aqueles que têm de menos,
Estão sendo cada vez mais,
E os que têm de mais,
Estão sendo cada vez menos!

E assim este mundo louco
E também surdo e cego,
Se não virar o bico ao prego
E abandonar o consumismo,
Vai cair não tarda pouco,
Nas falésias do abismo!

É sabido e notório
Que quem está no purgatório,
Aguarda a ida para os céus,
Para ficar junto de Deus,
No paraíso eterno!
Mas o pobre desgraçado,
Apesar de já purgado,
Não consegue ao céu subir
E mais parece ir cair,
Nas profundas do inferno!

Mas quando isso acontecer,
Pelas mãos da natureza,
Ou pelos homens empurrada!
E de um ou de outros modos,
Mesmo tendo dinheiro a rodos,
Podemos ter a certeza
Que ninguém fica para ver,
Nem para contar a história,
Ou escrever a memória,
Do homem que voltará a ser,
Apenas cinza pó e nada!

In, PRINCÍPIO DO FIM “Versos Imperfeitos”

Mar bravio (Ereni Wink)



Ereni Wink





Mesmo que a neblina ofusque o sol 
A cada amanhecer eu vibro
Deleito-me com as brumas
E com o aroma que vem do mar.

Mar bravio
Lapidando rochas...
Para terminar na praia
Desmanchando-se em espumas

Assim...
Quero navegar em teus olhos
Vibrar em teus braços
Mas permanecer inteira 
Dentro do seu coração.

Sentindo o perfume do amor
Misturado á maresia
Mesmo sendo uma heresia
È ali que quero te amar...

Florianópolis 23/11/2012

Ereni Wink

Sonho de uma noite (José Carlos Silva)



Jose Carlos Silva




Eu fiz um sonho,
Tu estava nua,
Tu eras tu,
Eu era eu...

Nesse meu sonho,
Nós eramos amantes,
Nos estávamos apaixonados,
Nós estávamos unicamente assim...

Sempre o mesmo sonho,
Eu nele te procuro,
A onde te vejo toda nua,
Me apertando nos teus braços

Fim do sonho
Eu estou debaixo meus cobertores,
Eu estou novamente sozinho
E tu fosses unicamente um sonho...

J.C


segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Tu És (José Carlos da Silva)




Jose Carlos Silva




Tu és a coragem
Tu és um anjo
Tu és a estrela
Tu és a pintura divina
Tu és um presente

Tu és o perdão
Tu és o amor
Tu és ternura
Tu és sabedoria
Tu és felicidade
Tu és calor
Tu és amigável
Tu és adorável
Tu és alegria
Tu és maravilhosa
Tu és magnífica
Tu és meu amor
Tu és isso tudo...

J.C

domingo, 9 de dezembro de 2012

Livro (Aníbal Bastos)



Aníbal Bastos






O nosso sonho de amor,
Depois de tanto fulgor,
Passou a livro esquecido;
Num velho baú guardado,
Como se fosse um pecado,
Ou um crime ter nascido!

Livro que guarda a memória,
Do que foi a nossa história,
E do amor que vivemos!
Livro que deu tantas voltas,
Ficando com as folhas soltas,
Que muitas nem sequer lemos!

Sei que na primeira diz,
Quanto me senti feliz,
Ao ouvir de ti o sim;
Dizendo que me amavas
E que por isso ficavas,
Para sempre junto de mim!

E nas páginas do meio
Que mesmo sem lê-las, leio:
- Amor fogo e ternura!
Foram páginas constantes,
Com histórias de amantes,
Com um raiar de loucura!

Porém nas páginas finais
Leio suspiros e ais;
A seguir livro fechado!
As páginas que sei de cor,
Lembranças dum grande amor,
Num velho baú guardado!

Livro grande e pequenino
Que a força do destino,
Nos fechou tão cruelmente!
Talvez um dia quem sabe,
O nosso amor o reabre,
Para ser lido novamente!

In, LIVRO “Versos Imperfeitos

sábado, 8 de dezembro de 2012

Natureza Pão e Fé (Delci Elena Corbari Pereira)



Delci Elena Corbari Pereira




Como no campo em solo fértil a certeza 
Que a semente espalhada é celeiro farto 
Dentro do tempo, comande a mãe natureza
A chuva regue, o sol aqueça e que faça vento

E com clima propicio o trigal cresce
Como um tapete verde cobrindo a terra 
Vigoroso mesmo no frio floresce
Fecha o ciclo e a colheita espera 

E de dourado com sol reflete ouro
Com cachos pesados declinas ao vento
Desponta a fartura nas mesas, pelo celeiro
Esperança, Fé e Pão, é contentamento

Na parábola “trigo e o joio” representa o bem
Na multiplicação dos pães, na biblia escrito 
Pintados por Millet, Van Gogh, e outros também 
E na última ceia, consagrado corpo de Cristo

Como no campo o trigal tem o intento
Em nossa existencia temos a missão
Fazer o bem, ser da alma o alimento
Amar todos em Cristo, como irmão

Delci Elena Dez. 2012

Te Vejo menos Te Sinto Mais (Delci Elena Corbari Pereira)



Delci Elena Corbari Pereira






Vem, pode me seguir sem medo
Já no caminho a felicidade entoa
Ela é sempre plena e sem segredo 
Não espere nada, pois o tempo voa

Mesmo que não seja o alvorecer da vida 
E que por menos, cansamos mais
No bosque florido a sesta merecida
Sentindo a natureza, ouvindo os pardais

Andemos com o tempo, e no somar dos anos 
Enxergando menos, mas nos querendo mais
Juntinhos, de olhos fechados vendo o bosque
Curtindo a saudade, pois viver, nunca é demais.

Delci Elena - Dez. 2012

Trigo (Aníbal Bastos)




Aníbal Bastos





Trigais de espigas douradas
Vestidas de louro grão,
Pelo seu peso vergadas
Em forma de servidão,
Sabendo ser consagradas
Depois da ceifa e malhadas,
Quando o grão for triturado
Por entre as mós do moinho
É em farinha tornado.
E no final do seu caminho
Irá transformar-se em pão,
Deixando ficar para trás
Os beijos que recebia,
Quer da brisa da manhã,
Quer do Sol do meio-dia,
Quando em prado verdejante
Serenamente crescia.
E da semente guardada
Lançada à terra outro dia,
Do grão a espiga doirada
Mais uma vez renascia,
Na sua sina constante
De alimentar toda a gente
Fosse boa fosse má…
Ao trigo era indiferente.

A. Bastos (Júnior)

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

O Trigo (José Carlos Silva)



Jose Carlos Silva




O trigo
Indispensável na vida 
De cor amarelada e dourada.
Sobre todas as mesas seu pão é servido
Dele fazemos os mais lindos bolos.

O trigo
Alimento universal
Com ou sem sal 
Quando temos fome 
Comemos seu pão.

O trigo 
É mais poderoso 
Que a bomba atómica
Sem ele não podemos viver
O trigo é uma autêntica vida.

O trigo 
Enriquece todos os campos 
Ele dança com o vento
É lindo de ver
Ele é trigo da vida e da esperança...

J.C

Trigais (Ereni Wink)





Lá ao longe, depois da serra.
Até onde a vista alcança
Estão os trigais da minha terra
Despertando a esperança.

Esperança de mesa farta
De dividir nosso pão
Pois sempre sobra um pouquinho 
Para saciar a fome de nosso irmão.

Do verde exuberante
Ondulando com o vento
Despertando a magia 
De retirar da terra o alimento.

Já maduro ouro parece
Está pronto pra colheita
Os grãos transformam-se em alimento
Para alimentar nossa gente.

A vida da roça é simples 
Mas rica por natureza
Pois essas mãos calejadas
São meigas tenha certeza.

De pintores a poetas
Da roça até o altar
Um grão traduzido em verso
Que Deus quis abençoar.


Florianópolis 07/12/2012.

Ereni Wink

O Pão Nosso (Ligia Shlochmann)




Ligia Shlochmann




'PÃO NOSSO DE CADA DE DIA'
NOS ALIMENTA DE ALEGRIA
LIVRA-NÓS DOS INIMIGOS.
PÃO FEITO DE TRIGO, VEM 
DOS CAMPOS AMARELOS,
SE REFUGIA DO INVERNO.
AFASTANDO TODO CASTIGO
DO MENDIGO AO MENINO.
SACIANDO A NOSSA FOME
BENDITO, SEJA........
'O PÃO NOSSO DE CADA DIA.'

ligia shlochmann.
dez/2012/primav. 






O Pão Nosso (Moira Studart)



Moira Studart




Céu límpido e azul
Grande pasto dourado
Longe da cidade e do povoado
Casa de madeira humilde
Vida simples com dignidade
Da janela uma vasta plantação
Guardo lembranças no coração
Brincadeiras entre galhos de trigo
Hoje pronta para a colheita me intrigo
Se o pão nosso de cada dia
Chegará na mesa das famílias todo dia…

Moira Studart Dez. 2012

Colherás Aquilo Que Plantares (Daisi Oliveira de Souza)




Daisi Oliveira de Souza





Recordo com nostalgia da terra vermelha,
Que tingia meus pés naquele chão,
Onde a abundância era mostrada na mesa
Colhida por minhas próprias mãos.

Fim de dia, da varanda eu via,
Terras imensas com suas diferenças
Mais parecia uma palheta de cores
Exibindo seus diversos sabores.

Os olhos percorriam o dourado do trigal
Que em movimentos suaves me acenavam,
Quase um milagre - Da terra brotava o sol.

E no céu azul, tingido de violeta,
Com o coração agradecido
Lembrava-me de Deus e sua promessa feita...

Daisi Oliveira de Souza

Trigal Dourado (Angela Mendes)


Angela Mendes



Queria te amar
entre o ouro do trigal 
que se deita à noite
no açoite do vento.
Esperar que amanheça
e ver secar-se o orvalho
que cintila sobre seus grãos.
E assim, entre as ondas do trigal
entendo a linguagem escrita
na beleza da criação.
E ali, deitados, corpos entrelaçados,
corações no mesmo compasso,
no aconchego dos teus braços
como seria doce te amar!
Peço à brisa que me empreste suas asas
e me leve de volta para casa
onde a felicidade é uma quimera!

Ângela Mendes, dez./2012


Você faz parte daqui