PROSAS EM VERSOS

SER POETA, É SENTIR AFLORAR DA PELE SENSIBILIDADE, É OUVIR O GRITO DOS QUE NADA DISSERAM, É VER POR UMA GAMA DE CORES INVISÍVEIS À MACROSCÓPICA VISÃO DOS INSENSÍVEIS, É PENETRAR IMPIEDOSAMENTE À ALMA HUMANA.

domingo, 25 de março de 2012

As Pessoas Especiais


Lúcinha Santos






Claudio Caldas Faria:


as pessoas especiais são aquelas
que têm a habilidade de dividir
suas vidas com os outros...
elas são honestas na palavra e nas atitudes,
são sinceras e compassivas,
e sempre dão por certo
que o amor é parte de tudo.
as pessoas especiais são aquelas
que tem habilidades para doar aos outros,
e de ajudá-los com as mudanças
que surgem em seus caminhos.
elas não tem medo de ser vulneráveis,
elas acreditam que são únicas
e têm orgulho em ser quem são.
as pessoas especiais são aquelas
que se permitem os prazeres
de estar próximo aos outros
e importam com a felicidade deles.
elas vieram para entender
que o amor é o que faz a diferença na vida.
as pessoas especiais são aquelas
que realmente tornam a vida mais bela!
agradeço de coração pela sua amizade!
você é muito especial para mim!
Tá fazendo falta aqui !!!!


ERENI - Prosas do Tema = Montanhas


Ereni Wink
TE ESPERO




Estou na beira do rio
Ao pé das montanhas azuis
solitária a te esperar
Tenho sonhos ´na minha alma
Procuro manter a calma
Para não desesperar
Você disse adeus e partiu
Cruzou montanhas e rios....e esqueceu de voltar
Esqueceu de quem te quiz
Quem tanto te fez feliz...
Deixou-me aqui a sofrer
Levou contigo meus sonhos
Deixando só as saudades..
Vazio no peito que arde....infeliz a machucar
Apagou nossos desejos
Levou embora meus beijos
Mas eu teimo em te amar...
E nesse recanto do mundo
Ao pé da nossa montanha
A beira do rio dos sonhos
Continuo a te esperar.

25/03/2012 Ereni wink

Uiaras, na montanha, ao sol


Carmen Alice Ribeiro


Vinicius de Moraes

Uiaras, na montanha, ao sol, sob a cascata
Rutilante, movendo as nádegas de prata
Na farta esmeralda do limo, em gelatina
Nuas, verdes, nas grandes pedras, na água fina
- Povo claro de mãos, de torsos e de seios
Que rubra solidão em mim vossos enleios
Mornos, graves, fizeram, lânguidos, sonhar
Que, em mim, se enrijeceu na ânsia de vos dar
Minha maior humanidade?...
Desejei
Vos fecundar
Não, não o doloroso e apenas
Gozo de conseguir, das vossas ancas, plenas
Frenético, a rápida sombra do distante
Ah, bem antes o sonho, o voto apaziguante
A sensação do vento da manhã, em ouro
Dançarino ideal, trazendo o pólen louro
Às flores ainda adormecidas nas estrelas...

(Qualquer coisa que vem da calma de sabê-las
Infecundas... - e só sentir fecundidade
No infecundo, e só viver dessa verdade...)

Como eu sou desigual! talvez que o meu desejo
Seja terrível... - pequena visão que eu vejo
Cresce acima de mim meu corpo animal.

Ó dor! só sinto o Bem como o supremo mal
Ó seres de paixão!...
- que mais cruel martírio
Essa espera sem fim, morrendo como um lírio
Pelo amor sem perdão das rosas impossíveis?...
No entanto, que música acordas, que invisíveis
Preces despertas, que cores descobres, claridade!
Sou bem alguém, alguma coisa, ou, uma ansiedade
De seres e de coisas?

Ah, meu corpo teme as
Trevas da noite, mas ela deseja dessas fêmeas
A treva da consumação... Mas serei eu
Depois? Será minha a minha alma e meu
O meu corpo?
Jamais.
Mínha vaidade é eterna.

ERENI - Prosas do Tema = Montanhas


Ereni Wink




Madrugada fria....te procurei ao meu lado
Mas estou só....levanto num sobressalto
e saio te procurar
No lombo do meu cavalo ,galopando pelos prados
Atravessando coxilhas...cabelos em desalinho
Vento batendo no rosto...
Na boca...o amargo desgosto
E u quero te encontrar ....
Mas o cavalgar é longo
...vou subir o topo da serra
É la que voce vai estar
E nesse procurar insano
Vivendo num desengano...assim já não quero estar.


25/03/2012 Eerni Wink

CARMEN - Prosas do Tema = Montanhas


Carmen Alice Ribeiro
Montanha russa do meu coração...




Me provoque, me desafie, me tire do sério, 
Me tire do tédio, vire meu mundo do avesso, 
mas pelo amor de DEUS, me faça sentir... 
um beliscãozinho que for, me dê. 
Eu quero rir até a barriga doer, chorar com cara de sapo. 
Você aguentaria viver na montanha russa do meu coração?

(Clarice Lispector)

FÁTIMA - Prosas do Tema = Montanhas


Fátima Custódio
A montanha e eu




Quando olho esta montanha que parece desabar sobre mim e esmagar-me, como é enorme a minha pequenez!

Preciso escalá-la. Mas aqui onde estou e olhando-a a prumo não será possível. Terá de ser pelo outro lado. E em espiral. Sei que por detrás desta enorme montanha, avistarei outra e depois outra.
Começo a escalada e levo o coração e os meus passos por companhia.
Como é lenta e sinuosa esta subida. Como a da vida.
Como o elo entre o passado e o futuro. E o vento não se extingue. Está cheio de rumores que trago sempre comigo.
Radiosa é a luz verde desta montanha, envolvendo tudo em meu redor. Há o canto, há o zumbido, há o silêncio. Há os tons e há os sons da natureza a viver. As fragas desafiam as enormes pedras que lá no alto permanecem inertes e imunes ao passar do tempo.
Vou subindo e os meus passos continuam a acompanhar-me. O meu coração também.
De todas as árvores, só de algumas sei o nome. Tonalidades variadas e levemente tocadas pelo sopro duma brisa morna. O sol adoça a folhagem os dourados da folhagem caída.
É tudo tão perfeito, daqui até ao firmamento. Excepto aquela mancha de carvão que avisto ao longe. Foi a triste mão do homem. Há homens que choram por aquilo que outros homens fazem. E os animais também!
Corro pelas escarpas e detenho-me nalguns arbustos. Como gosto do cheiro das estevas e do rosmaninho.
Ignoro as horas, e respiro o silêncio que desce sobre mim. Descalço-me. Tenho os pés cansados e o coração vazio. Não tarda aí o crepúsculo, as aves irão para os ninhos, os ruídos calar-se-ão e eu ficarei junto da montanha que nunca dorme. Tenho sede e tenho frio. Beberei da neblina da noite e o manto da lua aquecer-me á!
Sinto-me tão longe de mim! Mas a natureza não sabe disso! Nem tão pouco se compadece. E fica em mim a pergunta: porque me deixas morrer assim?

Fátima Custódio

FÁTIMA - Prosas do Tema = Montanhas


Fátima Custódio
Caminho




Na montanha
Radiante
De luz,
Misturo as cores
E faço uma tela.
Subo às nuvens
E envolvo-as
Num abraço
Sentido de abandono.
Recolho o odor
De veludos violetas
E do musgo acre
Nascido ao acaso.
Sinto no ar
Um peso tão húmido.
Sinto que choras.
Oiço o teu pranto
No eco do vale,
E choro também!
Sinto-me perdida,
Ergo as mãos aos céus,
Peço e suplico, 
Que me mostres e ensines
Apenas um trilho
Que me leve á vida

Fátima Custódio

SALETE - Prosas do Tema = Montanhas


Maria Salete Ariozi
MONTANHAS




IMPONENTES SÃO SEUS CONTORNOS. 

QUE DESENHAM O HORIZONTE.
A SUAVIDADE DE SUA FACE É BELA, 
SE VISTA DE LONGE...



FAZEM DOS MONTES, MONTANHAS,
QUASE UMA CANÇÃO, QUE ENCANTA. 
DESLUMBRADA, ENFEITIÇADA NOSSA 
VISÃO TE ALCANÇA, TE BEIJA.



SOMENTE AOS TEUS PÉS VEMOS
SUA MAJESTOSIDADE PRESENÇA.
IMPONÊNCIA PRÓPRIA DA NATUREZA
QUE SE FAZ ÍNGRIME.



A CONQUISTA DO SEU TOPO O HOMEM
TENTA A MUITO CUSTO BUSCAR. 
DESAFIOS QUE JÁ CUSTARAM
MUITAS VIDAS CERTAMENTE..



POR ISSO TE ADMIRO DE LONGE.
RESPEITO-TE E SINTO-ME 
SUBMISSA A SUA GRANDEZA
A SUA BELEZA .



DO UNIVERSO, É OBRA DE ARTE. 
CRIAÇÃO DA NATUREZA, 
TENDO AS MÃOS DE DEUS
A TE ABENÇOAR.

((SALETE))

Desejo




Aníbal Bastos





Quando morrer não quero ser cremado,
Porque não foi do fogo que eu nasci!
Se no fogo infernal sempre vivi!
Quero na morte senti-lo apagado!

Quero sentir a terra, ser enterrado!
Pertenço à terra-mãe, dela saí!
Regressar à morada de onde parti,
Sentir-me nos seus braços apertado!

Não quero, velas, lágrimas, nem flores,
Nem palavras bonitas de louvores,
Nem vestes imitando a noite escura!

Que o meu corpo baixe à sepultura,
Para aos vermes servir de alimento
E eu, me torne livre como o vento!

A. Bastos (Júnior

SALETE - Prosas do Tema = Montanhas


Maria Salete Ariozi
SOLIDÃO




Chuva fina e fria cai lá fora !
Me percebo olhando as gotas da chuva,
Tão cintilantes que Ornamentam
A Vidraça da janela enfumaçada.

O horizonte acinzentado se faz distante.
Se funde com o perfil dos belos montes. 
Montanhas de sentimentos me invadem, 
Buscando por esperanças que não nascem.

Nesta freqüência, anseios se confundem.
Incomoda-me o desalento, e a tristeza toma conta.
Fere o meu peito que sangra, e ainda encontra
A saudade que chega impiedosa, fria, mansa.

Neste percurso me perco de mim.
Meu corpo nu se aquece no calor dessa chama, 
Que clama por ti para que cesse, 
Tudo isso que me acontece.

Encontro só solidão por companhia.
Não quero essa presença que atormenta,
Finjo não perceber, mas é grande minha agonia,
Dos meus dias, sem você, sem sua companhia. 


((Salete))

LUCINHA = Prosas do Tema = Montanha




Lúcinha Santos






A vida não é fácil
Desde pequenos temos que aprender a nos virar
contra as pedras no caminho
Nada vem de graça
A subida é dura
e qualquer escorregão nos leva pra baixo
Mas começar de novo é preciso
escalar todo dia um pouco
Mas oque importa não é a escalada em si
e sim a parada para o descanso
oque se faz entre parar e recomeçar
Olhar em volta, perceber a paisagem
e ver principalmente
quem esta contigo nessa escalada
Subir e chegar ao topo é o caminho
mas subir e chegar ao topo sozinho
não te faz melhor que ninguém
É preciso sim, lutar sempre e escalar
seus medos, suas limitações
Mas sem esquecer que o principal é ser
e não ter.
Então quando estiver lá em cima
lembre-se de quem te ajudou e te empurrou pra frente
e segure a mão firme e não a deixe escapar
porque com certeza, essa pessoa
é quem vai ficar lá em cima com você a vida inteira
......................Lú

SALETE - Prosas do Tema = Montanhas


Maria Salete Ariozi




Nem no ar, nem nas profundezas do oceano, 
nem nas cavernas das montanhas, 
em nenhum lugar do mundo nós podemos 
abrigar o resultado de um mal praticado. 

Texto Budista

SALETE - Prosas do Tema = Montanhas


Maria Salete Ariozi
Montanhas no caminho...



Há dias que penso, "amanhã vai ser diferente", 
vou acordar e ir a luta, tentar recuperar o tempo perdido
e buscar o que mereço !
Já sentiram a sensação de que é necessário seguir em frente, 
lutar, brigar com unhas e dentes pelo que deseja? 
Seguir, mesmo que uma força incrível o puxe para trás, que 
dê vontade de parar, desistir de tudo e voltar?
Pois é, estou assim, no meio do caminho. 
Uma vontade incrível de olhar para trás, mas uma sensação
que devo seguir, caminhar passo a passo, acelerar, 
começar a correr, escalar a montanha, com força, 
cravar as unhas e dar o primeiro impulso, 
mesmo que sangre, continuar...
Continuar sempre, cada vez subindo mais alto, 
até alcançar o topo, a vitória, o amor, 
a liberdade que tanto sonhei! 

(Civana)

CARMEN - Prosas do Tema = Política


Carmen Alice Ribeiro





Subi a montanha
Para ver a beleza
Queria falar sozinho
Com a natureza

Olhei para o céu
Mas não vi ninguém
Só vi umas nuvens
Em forma de véu

Ao chegar ao alto
Era muito cedo
Havia uma voz
- Tu não tenhas medo

Chegando ao cimo
Logo me deitei
Tudo era um sonho
Quando acordei

Desconhecia tudo
Não sabia nada...
Queria subir mais alto
Mas não tinha estrada

Olhei para o lado
E vi um caminho
Uma voz me disse
Não subas sozinho

Pensei duas vezes
Não quis arriscar
Do alto do monte
Já só via o mar

Como era tarde
Pensei em descer
O medo era tanto
Que me fez tremer

Assim a tremer
Vi uma escadaria
Desci por ela
Vi o que queria...

(José Augusto Simões) 15/8/2006

LUCIANA = Prosas do Tema = Montanha



Luciana Pereira Barros




Escalando uma
montanha
Com o medo a me
acompanhar
Sigo a risca a façanha
De ao topo chegar...
Com as pernas
sempre a tremer
Sigo firme e forte
Sem jamais
estremecer!
E chegando ao topo
vejo a recompensa
De que tudo posso 
olhar 
Olhar para a imensa
vista
Sem se cansar!...

Gabriel Fernando Ribeiro Gripp

Amor é Fogo




Joaquim Rodrigues





Amor é um fogo que arde sem se ver,
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer.
É um não querer mais que bem-querer;

É um andar solitário entre a gente;
É um nunca contentar-se de contente;
É um cuidar que ganha em se perder.
É querer estar preso por vontade,
É servir a quem vence o vencedor,
É ter com quem nos mata lealdade.
Mas como causar pode seu favor,
Nos corações humanos amizade,
Se tão contrário a si é o mesmo Amor?

Luis de Camões...

Lembro-me do teu sorriso




Lúcinha Santos






Se a cada solidão
sinto a tua presença?
Se a cada lágrima
lembro-me do seu silêncio?
Se a cada palavra
lembro-me de você?
Você está a cada ausência.
Você está a cada gesto.
Em cada amanhecer da vida.
No silêncio do
meu pensamento.
Lembro-me que
foi bom te conhecer.
E sentir que
sou o bastante...
Para te encontrar
em cada alvorecer.
Te gosto com
qualidades e defeitos.
Quero somente que
você me aceite apenas como sou.
Pense em alguém
no silêncio da noite.
Alguém que não precisa nem
do silêncio da noite
para pensar em você.
Algum dia serei
algo que passou na sua vida.
Mas, para mim você sempre
será alguém que
lembrarei com muito amor...

Tu Eras



Angela Mendes




Tu eras também uma pequena folha
que tremia no meu peito.
O vento da vida pôs-te ali.
A princípio não te vi: não soube
que ias comigo,
até que as tuas raízes
atravessaram o meu peito,
se uniram aos fios do meu sangue,
falaram pela minha boca,
floresceram comigo.

Pablo Neruda

Só se te Deixar!



Kity Araújo




Se você deixar...
Serei tua doce menina
Que afaga teus cabelos
Que te enche de carícias
Com meus lábios vermelhos
....Vou te provocar...
Serei a mulher que realiza
Teus mais íntimos desejos
Nessa linda noite de luar
Se você deixar...
Serei todo teu encanto
A flagrância mais intensa
Que perfuma tua alma
O teu sono sereno
....Serei eu a velar
E entrarei em teus sonhos
Só para excitar você
Se você deixar...
Farei pulsar em teu peito
Um amor que é teu por direito
Desde que cruzei teu olhar
Se você deixar serei tua...Só tua
Mais só se você deixar...

(Kity Araújo)
Lei de Direito Autoral (nº 9610/98)

Hoje eu Queria Você


Kity Araújo




Hoje eu queria um beijo
...Demorado...molhado
Delicioso e cheio de desejos
Queria tuas mãos em mim
Dedilhando meu corpo
Demarcando minha geografia
Saciando essa vontade
Que insanamente sinto por ti
Queria tua pele quente na minha
Teu cheiro invadindo o ar
E como um vinho suave
Te degustar bem devagar
Queria fazer o tempo parar
Esquecer o mundo lá fora
Ser tua amante...Tua amada
...Tua rainha encantada
E inundar você de mim
Te amar por toda a madrugada
Hoje!! Hoje eu queria você...

(Kity Araújo)
Lei de Direito Autoral (nº 9610/98)

ODETE - Prosas do Tema = Montanhas




Odete Casagrande





Localizado no Parque Nacional da Serra dos Órgãos, o Pico do Dedo de Deus (1.692 m) se destaca pelo seu formato único e beleza. Símbolo do Montanhismo Brasileiro, o Dedo de Deus é certamente a montanha mais conhecida da Serra dos Órgãos, quiçá do Brasil.

O Dedo de Deus foi o palco do nascimento do Montanhismo no Brasil. Essa história começou em 1912 com a conquista do Dedo de Deus por cinco jovens teresopolitanos.

SIMBÓOOOOOOOOORA GENTE, tem muito caminho pela frente!!!

ANGELA - Prosas do Tema = Montanhas


Angela Mendes





Cercam-me as imponentes montanhas de Minas
De onde contemplo um Belo Horizonte
Em camadas finas
Singelos versos aquela imagem aglutina
Na garupa selada do vento cortante

Decanto as Minas das pedras preciosas
Diamantina, Ouro Preto, Esmeraldas
Minas das lutas gloriosas
Adormecidas no passado
Vívidas nas memórias
De um povo valente e ressabiado

Floresço em poesia
Nesse Brasil das Gerais onde fui plantada
Onde minha semente foi germinada
Quero em prosa e trovas cantar

As curvas das estradas das Minas sem mar

Cortar os vales, as serras
Pisar das Minas as terras
Sou mineira uai
Sou Minas Gerais

O trem de Minas já passou
Embarcou Aleijadinho, Tiradentes, Drummond de Andrade
Estacionou na Praça da Liberdade
Do meu coração da minha cidade

* Úrsula A. Vairo Maia

SANDRA - Prosas do Tema = Montanha



Sandra Parizotto
SE TE ABAIXASSES, MONTANHA





Se te Abaixasses,
poderia ver a mão 
daquele que não me fala 
e a quem meus suspiros vão. 

Se te abaixasses, montanha, 
poderia ver a face 
daquele que se soubesse 
deste amor talvez chorasse. 

Se te abaixasses, montanha, 
poderia descansar. 
Mas não te abaixes, que eu quero 
lembrar, sofrer, esperar. 

Cecília Meireles.

ANIBAL - Prosas do Tema - Montanhas



Aníbal Bastos
MONTANHA





Elevação mais alta que um outeiro

Que realça a linha do horizonte!
E, é também na crista do seu monte
Que nasce e se põe, o Sol prazenteiro!



Apesar do teu porte altaneiro,
Não falta, contudo, quem se apronte,
Entrar-te nas entranhas; beber na fonte,
A água do teu corpo verdadeiro!



Se fosses tu montanha e eu trepador,
Tentaria escalar-te até ao cume,
Derretendo o teu gelo no meu calor!



Sentir a brisa suave que afaga,
O teu todo irradiando perfume,
Da lembrança que o tempo não apaga!


A. Bastos (Júnior)



BASILINA - Prosas do Tema = Montanha




Basilina Divina Pereira
MONTANHA




É onde subo
para me sentir mais perto do azul
e ter a sensação de o horizonte
não é uma linha que vislumbramos no infinito,
mas o limite da nossa vontade de voar.

Basilina Pereira

SALETE - Prosas do Tema = Montanhas


Maria Salete Ariozi
 Do vale à montanha



Do Vale à Montanha, 
Da montanha ao monte, 
cavalo de sombra, 
Cavaleiro monge, 
Por casas, por prados, 
Por Quinta e por fonte, 
Caminhais aliados. 

Do vale à montanha, 
Da montanha ao monte, 
Cavalo de sombra, 
Cavaleiro monge, 
Por penhascos pretos, 
Atrás e defronte, 
Caminhais secretos. 

Do vale à montanha, 
Da montanha ao monte, 
Cavalo de sombra, 
Cavaleiro monge, 
Por quanto é sem fim, 
Sem ninguém que o conte, 
Caminhais em mim. 

Fernando Pessoa

ANGELA - Prosas do Tema = Montanhas


Angela Mendes
ALPINISTAS




Dá-me tua mão, 
segura firme
iremos começar
a escalar o maior
desafio de nossas vidas.
Amparados um no outro
cheios de esperança,
respirando ainda o ar da planície
iniciamos a jornada.
Vislumbramos uma beleza sem fim,
pássaros gorjeavam felizes
havia flores perfumadas
ao longo do caminho...
Aos poucos o caminho
tornou-se mais áspero,
começamos a sentir o ar
rarefeito, as pedras se tornavam
obstáculos e a subida mais íngreme.
Nunca deixei de segurar tua mão...
era meu apoio, minha força.
Porém, começamos a sentir
um cansaço e sentamos para
tomar fôlego, respirar...
A cada passo mais sentia
a dificuldade aumentando...
Tua mão já não segurava a minha
com tanta firmeza e os pés
feriam-se nas pedras e espinhos,
muitas vezes, sangravam...
Já quase ao final da escalada, 
paraste, sem forças e desististe...
Por mais que te implorava, 
nada te fez continuar e ficaste 
pelo caminho...
Segui triste, chorando, caindo,
levantando, mas sem desistir...
Preciso chegar, mesmo só,
ao topo dessa 
enorme montanha, 
chamada VIDA!

(Ângela Mendes)

Você faz parte daqui