PROSAS EM VERSOS

SER POETA, É SENTIR AFLORAR DA PELE SENSIBILIDADE, É OUVIR O GRITO DOS QUE NADA DISSERAM, É VER POR UMA GAMA DE CORES INVISÍVEIS À MACROSCÓPICA VISÃO DOS INSENSÍVEIS, É PENETRAR IMPIEDOSAMENTE À ALMA HUMANA.

domingo, 26 de fevereiro de 2012

As Máscaras







O teu beijo é tão doce, Arlequim...
O teu sonho é tão manso, Pierrô...

Pudesse eu repartir-me
encontrar minha calma
dando a Arlequim meu corpo...
e a Pierrô, minha alma!

Quando tenho Arlequim,
quero Pierrô tristonho,
pois um dá-me prazer,
o outro dá-me o sonho!

Nessa duplicidade o amor todo se encerra:
Um me fala do céu...outro fala da terra!

Eu amo, porque amar é variar
e , em verdade, toda razão do amor
está na variedade...

Penso que morreria o desejo da gente
se Arlequim e Pierrô fossem um ser somente.

Porque a história do amor
só pode se escrever assim:
Um sonho de Pierrô
E um beijo de Arlequim!

MENOTTI DEL PICCHIA

Permita-se



Lúcinha Santos




Permita-se ser feliz...
Riar a toa, dizer bobagens...
Alegrar-se diante pequenas coisas....
Permita-se sair da rotina...
Ser diferenciado e imprevisível...
Permita-se expor as emoções...
Sem medo, sem receio...
Sem hesitar ou duvidar...
Sem dar importância à repreensões...
Permita-se realizar...
Fazer acontecer, surpreender-se...
Acreditar que pode tudo...
Permita-se amar...
O amor é algo inigualável...
Privilégio de poucos corações...
Entaum, aproveite-o ao máximo...
Permita-se sorrir...
Fixar os olhos no horizonte...
Sem se preocupar pra onde ir...
Ou de onde partir...
Permita-se ouvir...
Desde os sons mais insignificantes...
Aos mais essencias...
Permita-se sonhar...
E entregar-se de corpo de alma...
Para realizá-los...
Permita-se ser vc mesmo...
Em todos os lugares...
Sob quaisquer circunstâncias...
Diante de qualquer pessoa...
Permita-se o hoje...
Pois o amanhã pode não chegar!!!

AD

Temas



Angela Mendes




Tudo iniciou com uma grande MENTIRA...
Falava de uma enorme SOLIDÃO,
misturada com a dor da SAUDADE!
Nesse espaço surgiu o AMOR...
Não quero saber de DESPEDIDA,
pois ainda sinto o sabor do teu doce BEIJO
que me embala num SONHO!

_Ângela Mendes-

Medo




Aníbal Bastos






Nasça o Sol, faça-se luz,
Sobre a terra escurecida,
Oh a gente adormecida!
Acordai para outra vida!
Nasça o Sol, faça-se luz!

Tirai da boca a mordaça!
Falai! Ninguém vos impede,
Aplacai a fome e a sede,
Abri vossos olhos e vede!
Tirai da boca a mordaça!

Tirai da mão a vergasta
Que a vossa vida fustiga!
Não embaleis na cantiga
Que a má sorte vos castiga!
Tirai da mão a vergasta!

Olhai o mundo em redor:
Vede quem fez para ter,
Tudo o que lhe apetecer!
E nada fez para o merecer,
Olhai o mundo em redor!

À custa do vosso medo,
Vivem os grandes senhores,
Os modernos ditadores!
Que vos chamam devedores,
À custa do vosso medo!

A. Bastos (Júnior)

BASILINA - Prosas do Tema = Beijo


Basilina Divina Pereira

O BEIJO





Pétala fina, rosada,

com um leve perfume de malícia

e vibrações traquinas a acariciar os sons

que dançam no compasso da emoção.
Assim é sua boca: insinua-se,
promete a proximidade do paraíso,
e eu me aproximo...
fecho os olhos para colher o céu,
mesmo que tenha de domar estrelas
antes de hipnotizar o momento.


Basilina Pereira

O Beijo





Fernando Martinho





Congresso de gaivotas neste céu
Como uma tampa azul cobrindo o Tejo.
Querela de aves, pios, escarcéu.
Ainda palpitante voa um beijo.

Donde teria vindo! (Não é meu...)
De algum quarto perdido no desejo?
De algum jovem amor que recebeu
Mandado de captura ou de despejo?

É uma ave estranha: colorida,
Vai batendo como a própria vida,
Um coração vermelho pelo ar.

E é a força sem fim de duas bocas,
De duas bocas que se juntam, loucas!
De inveja as gaivotas a gritar...

Alexandre O'Neill, 
in 'No Reino da Dinamarca'

Lembrança do nosso primeiro beijo



Carmen Alice Ribeiro




Súbito, uma lembrança dum beijo...
Nosso primeiro beijo dado!
Dado sem jeito, 
dado no desconhecimento
do que provocaria a nossos sentimentos...
Puro desejo!
Insano desejo... 
Emoção!
Súbito gosto nos lábios,
gosto forte e dulcissimo nos lábios,
do beijo dado no passado,
lembrança grata d'alma e do coração!
Súbito abrasar da face,
lágrimas a escorrer olhos abaixo...
O tempo do caminhar das lágrimas no abismo e no espaço
é um tempo de lembranças, de momentos mágicos!
Teus lábios naquele momento
quando tocaram pela primeira vez meus lábios,
sussurraram-me em segredo, decretaram sem medo
o fim, o fim de minha solidão!
Trouxestes nos lábios, entre dentes, com emoção
as chaves, as chaves de minha libertação!
E á emoção do momento 
então provocada pelo nosso primeiro beijo dado,
uma esperança foi adicionada...
Teu beijo fez nascer em mim asas,
o calor em teu beijo elevou-me a outras plagas...
Após teu beijo,
estou entregue!
E as asas,
e o calor que emanas,
fazem com que eu voe pelas trilhas da vida afora,
para finalmente no cair das horas,
como agora,
me aninhar em ti!
Como agora!
E lembrar a nossa história,
como agora!
Sentindo-me tão feliz!
Como agora... 
Tão feliz...

Edvaldo Rosa

SALETE - Prosas do Tema = Beijo


Maria Salete Ariozi

Desejo do Beijo



Em nós permanece o desejo, 

A vontade infinita

Do sentir o gosto,

Do toque, ao cheiro,

No olhar a malícia,
Na boca o beijo !



Entre nós o tempo se faz,

Lateja, suplica, angustia. 

Sem teu beijo não prossigo,

Nem consigo deixar 
De amar e querer,
Seu carinho, o seu beijo .



Quero na sua boca saciar,

Desejos contidos, escondidos,

Colar meus lábios aos seus,

Sussurro ao teu ouvido,
Em você me perco,
Perdemos o Juízo.



Na ânsia de nossa sede

Com beijos molhados,

Matamos a sede,

Na comunhão do calor,
Sinto o seu 
Junto ao meu, Meu amor. 



Nessa transe louca,

Percorro seu corpo inteiro,

Sinto teu cheiro que alucina,

Sentidos aguçados,
Retesados, 
E por fim termina.



A calmaria se faz,

Assim no descanso, 

Posso desenhar com o toque

De meus dedos, o contorno
Lindo de sua boca que, 
Acalma minha alma. 



Tudo é um eterno momento,

Onde a Saudade se faz,

Do toque,

Do gosto,
E no meu peito fica a vontade,
Da espera por outro beijo.



Mesmo te querendo tanto,

Por ser tão grande o desejo...

Nunca sei certo , 

Se te beijo quando sonho,
ou sonho, quando te beijo 


Salete 



Um Beijo


Angela Mendes





Foste o beijo melhor da minha vida, 
ou talvez o pior...Glória e tormento, 
contigo à luz subi do firmamento, 
contigo fui pela infernal descida! 

Morreste, e o meu desejo não te olvida: 
queimas-me o sangue, enches-me o pensamento, 
e do teu gosto amargo me alimento, 
e rolo-te na boca malferida. 

Beijo extremo, meu prêmio e meu castigo, 
batismo e extrema-unção, naquele instante 
por que, feliz, eu não morri contigo? 

Sinto-me o ardor, 
e o crepitar te escuto, 
beijo divino! e anseio delirante,
na perpétua saudade de um minuto...
Olavo Bilac

ANGELA - Prosas do Tema = Beijo


Angela Mendes

RENASCER NUM BEIJO...


Naquele instante fugaz,

inesperado,

nossas bocas se buscaram,

sedentas...
E aconteceu o primeiro beijo voraz
apaixonado,
e despertou o desejo
desenfreado...



E naquele beijo apaixonado

minha alma renasceu...

Vislumbrei um caminho
iluminado,
onde só existe você e eu, 
na espera de um novo beijo
de lábios doces colados...
de corpos entrelaçados,
de puro prazer 
quando a voz emudecer
E sem falar nada, nossas almas
vislumbraram a felicidade, 
como ponte entre nós e a realidade.


Adeus




Joaquim Rodrigues




Se um dia tu me encontrares na rua...
Não precisas mudar de calçada...
Pense só que somos estranhos...
E que entre nós nunca ouve nada...

Posso não olhar em teus olhos...
Mas passarei por ti sem rancor...
E sem lembranças que um dia...
Entre nós ouve um grande amor...

Nossos sonhos são diferentes...
Assim o nosso destino descreveu...
Tentarei encontrar em outros braços...
O amor que comigo não viveu...

JOAQUIM - Prosas do Tema = Beijo


Joaquim Rodrigues

O BEIJO…




Não te beijo e tenho desejo… 

De um beijo te roubar…

O beijo mata o desejo…
E eu quero-te desejar…



Sei bem que deves ter…

Muitos beijos para dar…
Eu teria que enlouquecer…
Para um beijo te roubar…



Se roubasse um, muitos daríamos…

Mas a ninguém eu posso, é jurar…
Que depois não te aborrecerias…
De muitos mais beijos, te roubar…



Nesses teus lábios sedosos e puros…

Que guardas quanto mais desejo… 
Por te amar, contra a tua vontade… 
Vou derrubar grades, e muros… 
Estou louco para te dar um beijo…


Joaquim Rodrigues...

ANA - Prosas do Tema = Beijo





Ana L. Jorge







Beijo
Beijo de mãe
Beijo de irmão
Beijo de amigo
Beijo na boca
Pode ser na mão, na testa, na face, na boca 
Selinho, ou de língua 
Técnico ou não
De amor, de carinho, de conforto 
Beijo por beijo
Simplesmente beijo
Um beijo eterno e terno
O beijo q desvia do chapéu para ser dado
O beijo roubado, o beijo dado, o beijo escrito 
O beijo q marca no coração
Que toca e fica na lembrança
Aquele que levamos pela vida inteira
O beijo tem vida própria
O beijo beijado!!



Ah, para tudo!



Lúcinha Santos




‎"Ah, para tudo! Se é pra viver, vamos viver direito.
Com conteúdo.
Troque o verbo, mude a frase, inverta a culpa.
O sujeito da oração é você.
A história é sua, mãos à obra!
Melhore aquele capítulo,
jogue fora o que não cabe mais, embole a tristeza,
o medo, aceite seus erros, reescreva-se.
Republique-se. Reinvente-se.
E transforme-se na melhor edição feita de você."

Fernanda Mello

LUCINHA - Prosas do Tema = Beijo


Lúcinha Santos

Beijos




Beijo é bom

de qualquer jeito

beijo de amigo no rosto
fica com gosto de carinho
Beijo de filho com abraço
com gosto de afago
Beijo de irmão
Beijo bom de dar
Bom de receber
Beijo molhado
Beijo roubado
Beijo de amor
com gosto de quero mais
Beijo na boca
com gosto de paixão
Beijo que fica melhor ainda
quando for do seu amor

DAISI - Prosas do Tema - Beijo


Daisi Oliveira de Souza

Beijo




Que mistério é esse

que o tempo faz parar....
com nada a se importar.
Dança harmoniosa, sincronizada
entre dois seres que se atraem.
Quase uma telepatia. 

Bruxaria?

Os sentidos vão revelando,
as palavras que teimam em não sair.
Quanto é dito sem verbalizar
apenas com beijos a trocar.
O amor não declarado....
a lágrima sufocada na despedida,
aquele com sabor de desejo.
São tantos os seus apelos...
Ah! a voz dos seus beijos
ressoam em meu pensar
sabendo eu, que seus lábios
não vou mais encontrar.

Daisi Oliveira de Souza
25.02.2012

LUCINHA - Prosas do Tema - Beijo


Lúcinha Santos

Beijos



Espero pelo teu beijo

com fome de paixão
com desejo e tesão
Espero esse primeiro beijo
como viajante errante
no deserto a espera de um oasis
como a flor pelo beija-flor
como os namorados pela lua cheia
Imagino
o encontro de nossos olhos
minha boca na sua
sua boca na minha
e me puxa pela nuca
pra encostar nossos corpos
Um momento mágico
em que tudo para
E eu tiro meus pés dos chão
e ando em nuvens
e este momento eternizado pra sempre
um nos braços do outro
com os corpos colados


A lua me dise.



Jose Carlos Ribeiro




A lua me disse
para eu nunca deixar voce
meu amor.
Para eu nunca esquecer
os quentes beijos seus
seu corpo delgado e gostozo
seus olhos meigos e bondosos.
A lua me disse
que minha vida é voce
que so em seus braços
serei feliz.
Quero viver dos nossos
doces e mágicos momentos
em que nossas almas
falam e sorriem.
Ela tem razão, pois minha luz
é voce, amor.
A centelha do seu coração
me brinda com emoção
embalando meus dias
meus momentos com voce
cheios de ternura,paz e comprensão.
Quero viver nessa magia
ate que meu corpo se desmaterialize
e na estratosfera quero rencontra-lo
e ficar com voce em todas as
outras vidas.
Porque a cada dia que passa
me apaixono mais e mais por voce.

Vitoria.E.Santo
Arneyde T. Marcheschi

Um dia você percebe...





Sonia Isotton






Um dia você percebe
Que o amor é algo que se encontra muito além de um belo sorriso...
Percebe que as coisas simples da vida são também as mais importantes
Percebe que o impossível, na verdade, é só uma questão de opinião
E que o teu fracasso ou o teu sucesso dependem exclusivamente de suas escolhas.

Um dia você percebe
Que muitos erros cometidos têm a intenção de acertar
E que nas pessoas, assim como em um bom perfume, o que vale não é o frasco
Mas a essência.

Um dia você percebe
Que cada um oferece aquilo que tem e o que transborda de dentro de si.
Percebe que não nos cabe julgar nem punir nada aqui, mas apenas compreender
E que o silêncio muitas vezes é a maior sabedoria que podemos expressar.

Em um lindo dia você percebe
O quanto é bom acordar cedinho para ver o Sol nascer!
Que sempre se é feliz quando se tem bons amigos,
E que quem realmente te merece não faz você sofrer.

Um dia você percebe
Que a felicidade não tem muito a ver com dinheiro ou status
Percebe que, de certo modo, o amor é apenas uma maneira de olhar
E que as pessoas mais valiosas em sua vida
São justamente aquelas que sempre estiveram ao seu lado.

Um dia você percebe também
Que a tua felicidade não deve depender dos outros
Mas exclusivamente de você
E que o mais importante na vida
Não é que você encontre alguém que te ame de verdade
Mas que você se ame sempre
Imensamente!

- Augusto Branco-

O Corte


André Alves




‎- Você se cortou?
- Não foi nada.
Márcio queria curá-lo. Mesmo que não fosse algo preocupante, disse a Fernando que saliva era um bom cicatrizante. Era o dedo do meio que pingava. Num impulso Márcio leva-o aos lábios que hesitam em abrirem-se, logo a boca do garoto toma-o para si. Olhou para o rosto do peão. Sentiram vontades. Márcio não tirava os olhos de Fernando. O dedo era tão grosso que tomava todos os espaços. Seu paladar ainda não distinguia o que era terra de sangue. Até que começa a chupá-lo. Limpava-o. Pôde sentir o sangue correr na língua sem sujeiras. Uma essência doce penetra-o. Márcio notou que algo se exaltava. Olhou para o jeans grosseiro e viu um grande volume nas calças de Fernando. As suas também se esticaram. O campeiro gostava daquilo. Até que num delicado movimento tirou o dedo da boca do garoto. Deu-o tempo para uma última provada. O sangue estancou-se. Fernando agradeceu-o.

André Alves

Bom Apetite




Patricia Neme




Hoje,
sentar-nos-emos ao redor da mesa,
para o almoço de domingo.
Sobre a alvura do linho, enfeitado de renda,
repousarão os pratos que me lembram as Gerais
(não são azuis, porta e janelas dos casarios antigos, 
que se encascatam ladeira abaixo?).
Por falar nisso, jamais esqueçam:

Quando eu morrer, meu coração quero enterrado
no sacro chão das verdes matas das Gerais... 
- e que a vida termine o soneto!.

Talheres de prata
(foram trinta os talentos que compraram a vergonha do homem!),
comme il faut,
para que nossos lábios sejam tocados com requinte.
Copos de fino cristal, 
cantando translucidamente a veracidade dos brindes
(pois brindaremos ontens, hojes e amanhãs),
dos quais sorveremos a saudade, 
gota a gota,
do que já fomos, 
do que não somos?,
do que poderemos vir a ser...
Ah,
também um delicado arranjo de girassóis,
embora sempre me digam que uma coisa não rima com a outra: 
delicado e girassóis.
Mas eu sou aquela cara redonda, com ares de estabanada, 
em perpétua busca pelo rei deste universo...
(os outros universos serão tecidos de fios de esperança, 
suaves malhas de sonho?)
Se alguém conseguisse enxergar minha alma,
veria violetas pequeninas, frágeis, assustadas...

Hoje,
vestidos com roupas domingueiras,
sentar-nos-emos ao redor da mesa, como antigamente.

E saborearemos a família.

- Patricia Neme -

Em Construção


Lenir Castro




Onde é que 
está o fim
do fio do novelo?

Onde é que anda
a conclusão dos
outros planos?

Onde é que pisca os
faróis dos oceanos?

Onde é que está a viga
mestra desse tempo?

_______ sendo ? _____

BASILINA - Prosas do Tema - Beijo



Basilina Divina Pereira


RITUAL





Se bem me lembro,

o seu beijo tinha gosto de certeza,
era como o verde que agradece a chuva
e a adrenalina que aciona o coração.
Nossos lábios sabiam o caminho
e não esqueciam a hora do encontro
nem o ritual: olhos nos olhos, 
aproximação, sorrisos
e aquele encontro que abria um buraco no céu
e ouvia todos os anjos
entoarem seus cânticos azuis.
Mas já não tenho tantas recordações
e as que trago oscilam no vão da tarde
e não encontram o seu propósito.
Na dúvida, prefiro acreditar que não sonhei.


Basilina Pereira

BASILINA - Prosas do Tema - Beijo





Basilina Divina Pereira

O BEIJO DA ESPERANÇA



E então o seu sorriso incendiou-me.
Era tanto brilho no azul daquele olhar
que um vento - feito de alegria -
assoprou as cinzas daquele lugar,
onde fora fogo ardente e rubro.
E a noite, antes pálida e descrente,
fez-se aurora ante o beijo da esperança
e resplandeceu airosa sobre o meu caminho.
Foi tanta luz... que a mágoa desceu as encostas,
sorrateira, e foi em busca do perdão.

Basilina Pereira


Você faz parte daqui